Automóvel Volkswagen “em revolução” para melhorar as margens

Volkswagen “em revolução” para melhorar as margens

Com os efeitos do “dieselgate” a condicionarem os resultados da empresa alemã, a construtora automóvel apresentou um plano para atingir um retorno de 6% nas vendas em 2025.
Volkswagen “em revolução” para melhorar as margens
Bloomberg
Negócios 22 de Novembro de 2016 às 13:30

A Volkswagen (VW) está a levar a cabo um plano de recuperação que tem como objectivo atingir, em 2025, uma margem de lucro de 6%, comparada com os 2% deste ano, adianta a imprensa internacional, citando uma conferência de imprensa de um administrador da marca, Herbert Diess.


A estratégia passa por apresentar 17 novos veículos utilitários desportivos (SUV) antes de 2020, fabricar carros eléctricos nos EUA e descentralizar a forma como as decisões sobre gestão e produtos são tomadas. O objectivo é aumentar quota de mercado nas Américas do Norte e do Sul e na China. A marca quer ser rentável no continente americano e essa é uma das chaves deste plano.


A Volkswagen irá ainda descontinuar gradualmente os carros que não atingem as metas para cortar custos.


Nos últimos tempos, a marca tem tido dificuldades em acompanhar outras insígnias do grupo, nomeadamente a Audi e a Porsche, no seguimento do escândalo do "dieselgate", a manipulação da emissão de gases nocivos, cuja polémica foi desencadeada nos EUA.


Na semana passada, a VW chegou a acordo com os sindicatos para cortar 30 mil postos de trabalho até 2020, poupando 3,7 mil milhões de euros que serão para investir em carros eléctricos e em serviços como o "ride-sharing". A marca tem como meta a venda de um milhão de carros eléctricos até 2025, adiantou Diess.


A VW deverá investir perto de 4,5 mil milhões de euros por ano, com poupanças de 2,5 milhões relacionadas com o abandono de modelos pouco rentáveis. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 1 semana

ASNEIRA

HÁ UNS ANOS QUISERAM FAZER O MESMO

FORAM CONTRATAR UM ESPANHOL À GM

TENTARAM ESMAGAR OS FORNECEDORES

... E O RESULTADO FORAM PROCESSOS JUDICIAIS EM CATADUPA

pub
pub
pub
pub