Automóvel Volkswagen ganha quota de mercado pela primeira vez desde escândalo das emissões

Volkswagen ganha quota de mercado pela primeira vez desde escândalo das emissões

A construtora automóvel alemã ganhou quota de mercado na Europa pela primeira vez desde que rebentou o escândalo das emissões de gases. A Volkswagen foi responsável por 24,8% das vendas de carros na Europa em Novembro.
Volkswagen ganha quota de mercado pela primeira vez desde escândalo das emissões
reuters, bloomberg
Ana Laranjeiro 15 de Dezembro de 2016 às 09:14

A construtora alemã Volkswagen pode estar a recuperar a confiança dos consumidores europeus. Um sinal disso é a construtora alemã ter aumentado a sua quota de mercado pela primeira vez desde Setembro do ano passado, época em que rebentou o escândalo das emissões de gases poluentes.

Os dados da Associação Europeia de Construtores Automóveis (ACEA), divulgados esta quinta-feira, 15 de Dezembro, e citados pela Bloomberg, indicam que a Volkswagen foi responsável por 24,8% das vendas de carros totais de carros na Europa em Novembro. Este valor contrasta com os 24,6% registados em igual período do ano passado.

O registo de matrículas europeias cresceu 5,6% no mês passado para 1,19 milhões de veículos, o que, de acordo com a Bloomberg, coloca o sector na trajectória correcta para registar o terceiro ganho anual. Neste segmento, a Volkswagen também esteve em destaque, sendo os seus carros responsáveis 6,3% dos registos.

O sector automóvel no Velho Continente tem vindo a recuperar depois de ter atingido um mínimo de 20 anos em 2013, época em que o continente estava a ser assolado pela crise das dívidas soberanas. Naquele ano, Portugal estava ainda a braços com o programa de ajustamento económico-financeiro depois de ter pedido um resgate às instituições internacionais em 2011. A Irlanda saiu do plano de resgate em Dezembro daquele ano. A Grécia estava ainda sob condição de resgate, assim como o Chipre.

A recuperação do sector tem se devido ao aumento da confiança dos consumidores e ao crescimento económico em países como a Alemanha e a França.

Apesar do crescimento das vendas ter abrandado este ano, numa altura em que o mercado dá sinais de estar a atingir um pico, a procura continua resiliente mesmo com o escândalo das emissões fraudulentas, com a incerteza política na Europa e com o Brexit, segundo a mesma fonte. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub