Automóvel Volkswagen quer apurar quem autorizou uso de macacos para testar gases tóxicos

Volkswagen quer apurar quem autorizou uso de macacos para testar gases tóxicos

A fabricante automóvel alemã já abriu um inquérito para apurar quem encomendou os testes em que macacos foram expostos a gases tóxicos do gasóleo.
Volkswagen quer apurar quem autorizou uso de macacos para testar gases tóxicos
D.R.
Carla Pedro 29 de janeiro de 2018 às 20:04

O conselho de supervisão da Volkswagen (VW) ordenou a abertura imediata de um inquérito para saber quem encomendou os testes de exposição de macacos aos gases poluentes do gasóleo, avançou a Reuters. Isto numa altura em que também o governo alemão já se pronunciou sobre este assunto, dizendo que este tipo de estudos é injustificável.

Segundo o The New York Times, que cita pormenores de um processo judicial intentado contra a VW nos EUA, em 2014 – alguns meses antes de estoirar o escândalo Dieselgate – a fabricante automóvel alemã envidou esforços no sentido de provar que as emissões dos seus novos modelos eram mais limpas do que nunca e não causavam cancro.

 

Para tal, terá encomendado um estudo à organização European Research Group on Environment and Health in the Transport Sector (EUGT – grupos de estudos europeu sobre ambiente e saúde no sector dos transportes), visando defender as qualidades do diesel depois de ter sido dito que os gases de escape desse combustível eram carcinogénicos, contou o jornal norte-americano.

 

"Farei tudo o que estiver ao meu alcance para garantir que este assunto é investigado em detalhe", afirmou, citado pela Reuters, o presidente do conselho de supervisão da VW, Hans Dieter Poetsch.

 

Mas o assunto pode ter contornos ainda mais graves: diz o The Guardian que a Volkswagen está sob fogo cerrado por parte de políticos e ambientalistas também devido ao facto de se ter avançado que os testes, além de macacos, também recorreram a seres humanos.

 

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que é urgente a VW revelar a verdadeira dimensão destas experiências levadas a cabo pela EUGT – organismo que é financiado pela Volkswagen, Daimler e BMW.

A Volkswagen, Daimler e BMW denunciaram no passado sábado este estudo – que é o mais recente choque nesta indústria após o escândalo das emissões poluentes da VW, recorda a Reuters.


(notícia actualizada às 20:20)




pub