Automóvel Volkswagen vence nos tribunais espanhóis

Volkswagen vence nos tribunais espanhóis

O fabricante automóvel venceu em nove dos 10 casos judiciais em Espanha. As acusações recaíam sobre os defeitos do software de medição das emissões de gases dos veículos.
Volkswagen vence nos tribunais espanhóis
reuters, bloomberg
Negócios 26 de Dezembro de 2016 às 11:42

A Volkswagen saiu vencedora de quase todas as acusações dos clientes espanhóis. Apenas num dos casos a empresa alemã foi sentenciada a pagar ao comprador uma quantia de 5.006 euros. Os juízes afirmam que os veículos da marca não são mais poluentes que os das outras marcas.

 

O fabricante admitiu em Setembro de 2015 que equipou entre 2008 e 2015 veículos a diesel das marcas Volkswagen, Seat, Audi e Skoda com um programa que manipulava os valores das emissões de óxido de nitrogénio. A partir do mesmo software, a Volkswagen vendeu 11 milhões de veículos, dos quais 700.000 foram vendidos em Espanha.

 

O único caso onde a Volkswagen teve de pagar uma indemnização remonta ao passado mês de Outubro, referente à sucursal de Valladolid. Na acusação constava um pedido de rescisão do contracto de compra do modelo Audi Q5 Ambiente, a substituição do automóvel por outro da mesma categoria e uma indeminização por danos e prejuízos.

 

As instâncias judiciais reconheceram como indeminização 10% do preço do veículo, num total de 5.006 euros. A empresa já recorreu da decisão ao Tribunal Provincial de Valladolid.

 

Nos nove casos favoráveis à Volkswagen, os tribunais decidiram proceder a favor do fabricante alemão sob o argumento de que os valores de emissões registados nas estradas não superam os da concorrência. Além disso, os juízes afirmam que a marca se comprometeu a oferecer uma solução técnica, nomeadamente uma actualização do software em causa.

 

O mesmo jornal refere que os vários tribunais apresentaram argumentos semelhantes para rejeitar as queixas contra a Volkswagen. Em Valência, a acusação de um comprador do Volkswagen Tiguan Cross 2.0 foi descartada uma vez que o veículo "é apto para circulação, isto é, para o fim pelo qual se adquire o veículo", cita o El País. O tribunal acrescenta ainda que não houve nenhum acordo entre a autoridade nacional nem a União Europeia para a retirada de circulação dos automóveis, dado que não representam quaisquer "mais perigos para o meio ambiente que os produtos semelhantes".

 

Em Quart de Poblet, os tribunais confiam que a Volkswagen terá uma solução técnica e que se encarregará com os custos inerentes. Em Manacor, o caso não foi considerado como primordial, tendo sido recusado o pagamento de 10.346 euros ao cliente, que alegou desvalorização do veículo.

 

Após o escândalo que tem envolvido a Volkswagen nos últimos meses, a empresa alemã chegou a um acordo na semana passada para recomprar ou reparar 80 mil automóveis a diesel vendidos nos Estados Unidos. Também este mês, a Volkswagen começou a mostrar sinais de recuperação com o aumento de quota de mercado na Europa.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Manuel Há 4 semanas

Os vizinhos é que deviam colocar os donos dos carros em tribunal, pela poluição causada.

Anónimo Há 4 semanas

Justissimo:os compradores desses automoveis estao-se nas tintas para os efeitos das poluicoes que esses carros descarregam,e agora querem ser compensados.Em meu ver e 1 problema a nivel governamental,como tal ele e q deve por a empresa em tribunal:cada vez ha mais doentes devido a este ar insuportav

pub