Automóvel Waymo, ou como a Google quer ganhar a corrida pelos carros autónomos

Waymo, ou como a Google quer ganhar a corrida pelos carros autónomos

É a mais recente empresa do universo Alphabet e vai agrupar as actividades de desenvolvimento de veículos autónomos até aqui concentrados na Google Cars.
Waymo, ou como a Google quer ganhar a corrida pelos carros autónomos
Paulo Zacarias Gomes 13 de Dezembro de 2016 às 17:28
A Alphabet - casa-mãe da tecnológica Google, o motor de busca mais usado do mundo - acaba de criar uma nova empresa para acomodar as actividades de desenvolvimento de veículos automóveis autónomos. 

A Waymo passa a partir desta terça-feira, 13 de Dezembro, a ser uma "empresa independente" dentro da Alphabet e é criada com o objectivo de "tornar as deslocações mais seguras e fáceis para pessoas e bens," referiu a empresa durante uma conferência de imprensa em São Francisco, Califórnia.

"Vamos continuar a aceder às infra-estruturas e aos recursos que a Alphabet nos proporciona, mas também temos este sentimento de sermos uma startup financiada por capital de risco," afirmou John Krafcik, antigo CEO da Google Cars e que agora passa a liderar a Waymo.

Segundo o Business Insider, a Google Cars terminou recentemente uma série de testes em estrada em Austin, ao colocar um passageiro cego no assento frontal de um carro sem volante nem pedais.

Há sete anos que a empresa trabalha no desenvolvimento de tecnologia para estes veículos que deverão permitir circular nas estradas sem necessidade de condutor. Desde então, os protótipos desenvolvidos pela tecnológica já percorreram mais de 2 milhões de milhas (cerca de 3,22 milhões de quilómetros) em estradas públicas distribuídas por quatro estados.

Com a chegada dos protótipos à estrada, o objectivo parece agora passar de uma empresa puramente tecnológica para uma companhia com maior vocação comercial, levando às contratações, além de Krafcik (ex-director da Hyundai nos EUA), também de Shaun Stewart, antigo responsável pela plataforma electrónica de alojamento Airbnb e da TripAdvisor.

As acções de classe A da Alphabet avançam 1,62% em Nova Iorque para os 820,99 dólares, enquanto os títulos classe C somam 1,43% para 800,81 dólares.

(Notícia actualizada às 17:46 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub