Web Summit Web Summit: Os “cabeças de cartaz” do segundo dia

Web Summit: Os “cabeças de cartaz” do segundo dia

Este dia 8 de Novembro vai contar com as intervenções do líder por exemplo do Tinder e da líder da empresa que produz o Angry Birds.
Web Summit:  Os “cabeças de cartaz” do segundo dia
Miguel Baltazar
Ana Laranjeiro 07 de novembro de 2017 às 19:12

Não será a primeira vez que Sean Rad, líder do Tinder, vai pisar o palco central do Web Summit. O líder do Tinder, vai intervir pelas 16:35, no palco central, encerrando as conferências nesta quarta-feira, depois de já no ano passado ter estado na capital portuguesa.

Em termos políticos, o cenário era de alguma turbulência. Poucas horas antes Donald Trump tinha sido eleito presidente dos Estados Unidos. Na altura, Sean Rad lamentou que o seu candidato não tivesse vencido a corrida à Casa Branca. Ainda assim, o empresário sublinhou a necessidade de respeitar a escolha dos eleitores dos Estados Unidos.

"Estivemos colados à televisão. O candidato que eu queria que ganhasse não ganhou. Mas o mais importante é que os americanos vivem numa democracia maravilhosa, e temos de apoiar a sua decisão", afirmou Sean Rad, numa conferência do Web Summit dedicada ao tema "amor e tecnologia na era do Tinder".

O CEO da rede social destacou ainda que, "colocando de lado o resultado das eleições", uma coisa "chocante" foi o tom da campanha. "Foi insano. Forçou-nos a pensar em qual é a linguagem adequada. Conversas de balneário são absolutamente inaceitáveis", classificou o CEO do Tinder, arrancando um forte aplauso da plateia.


Quem poderá dar algumas indicações sobre a campanha eleitoral, nomeadamente do lado republicano, é Brad Parscale. Parscale foi director da área digital da campanha de Donald Trump. Quando subir ao palco principal, às 12:15, Parscale vai falar sobre estes 11 meses da presidência de Trump, dos próximos 12 meses e do que esta administração significa para o resto do mundo, de acordo com o que está na página do Web Summit.

Um pouco antes, às 11:30 mas também no palco principal, o tema vai ser outro. Kati Levorante, CEO da Rovio (empresa que produz o jogo Angry Birds), vai falar sobre a ida dos jogos para o mainstream.

No final de Setembro, a Rovio estabeleceu em 11,50 euros o preço a que serão vendidas as acções no âmbito da oferta pública inicial. É o preço mais elevado dentro do intervalo estimado inicialmente. Assim, a dona do Angry Birds entrou em bolsa a valer quase 900 milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub