Web Summit Web Summit “aquém” das expectativas dos hoteleiros

Web Summit “aquém” das expectativas dos hoteleiros

Com a primeira edição do evento de inovação, as expectativas eram “altas”. Os dias do evento mostraram que não se alcançou o efeito desejado na ocupação e preço médio. O próximo ano servirá para rever estratégias.
Web Summit “aquém” das expectativas dos hoteleiros
Bruno Simão
Wilson Ledo 14 de dezembro de 2016 às 18:44

O impacto do Web Summit ficou "aquém" das expectativas dos hoteleiros lisboetas. O evento de inovação e tecnologia fez subir a taxa de ocupação das unidades da capital para os 79% de 6 a 9 de Novembro – acima dos 71% registados em 2015.

Contudo, este resultado ficou abaixo da ocupação de 85% que os hoteleiros esperavam em Setembro. A conclusão é de um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal apresentado esta quarta-feira, 14 de Dezembro.


A ocupação ficou nos 73% a 6 de Novembro, subindo para os 79% no dia em que arrancou oficialmente o evento. A 8 de Novembro, 82% dos quartos hoteleiros na cidade de Lisboa estiveram cheios. O balanço fechou a 9 de Novembro com 83%.


Por sua vez, o preço médio durante os dias do evento fixou-se nos 130 euros, abaixo dos 163 euros esperados pelos hoteleiros em Setembro. Contudo, o valor angariado ficou 45 euros acima do registado em 2015.


"Foram talvez um bocado optimistas de mais", admitiu Cristina Siza Vieira, lembrando que esta era a primeira vez que se realizou o evento em Portugal e que, por isso, as expectativas estavam em alta.


Todavia, a presidente executiva da AHP considera que o evento "naqueles dias foi decisivo. Para nós, é uma aposta ganha". A responsável explicou ainda que no próximo ano, e com a experiência acumulada desta primeira edição, alguns hoteleiros admitem rever o preço que praticaram em baixa.


França, Reino Unido, Portugal, Alemanha e Estados Unidos da América foram as cinco nacionalidades em destaque. O inquérito da AHP concluiu ainda que 39% dos hóspedes no período analisado não veio para o Web Summit.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Foi uma aberração 15.12.2016

Um lixo, pareciam anormais excitados. Não serviu para nada, parecia o circo.

António Antunes 14.12.2016

Estavam a espera de mamar mais, mamaram demasiado

pub