Empresas Webhelp contrata 200 trabalhadores para o Porto

Webhelp contrata 200 trabalhadores para o Porto

Depois de Lisboa, a empresa instalou-se no Porto, onde emprega já 150 pessoas, mas "fruto do seu crescimento" precisa de aumentar este número.
Webhelp contrata 200 trabalhadores para o Porto
Miguel Baltazar
Lusa 14 de abril de 2017 às 19:08

A Webhelp, multinacional francesa especializada em subcontratação de processos empresariais, está a recrutar 200 colaboradores para o Porto, prevendo criar, até ao final do ano, 350 postos de trabalho, adiantou hoje à Lusa o diretor, Benoist Voidie.


Depois de Lisboa, a empresa instalou-se no Porto, onde emprega já 150 pessoas, mas "fruto do seu crescimento" precisa de aumentar este número, explicou.


Com a ambição de se estabelecer noutra cidades do país, a empresa tem já, nos escritórios do Porto e de Lisboa, cerca de 800 trabalhadores, revelou.

Benoist Voidie explicou que os novos colaboradores não precisam de ter nenhuma formação específica, mas devem ter bom conhecimento da língua francesa, ser apaixonados pelas telecomunicações e pela relação com os clientes.

Os trabalhadores não ingressam na empresa para trabalhar apenas, mas para construir uma carreira, tendo um salário "muito atractivo" porque, exemplificou, um assistente de apoio ao cliente pode ganhar o que ganha um quadro em início de carreira.

O director da Webhelp do Porto revelou que os funcionários não trabalham ao domingo, terminam às 19:00 e dispõem de um fim de semana completo de três em três semanas.

Além disso, têm uma sala de jogos e de refeição, uma cafetaria, formação contínua e infraestruturas modernas, acrescentou.

"Sobretudo, não fazemos mais do que respeitar as pessoas", acrescentou.

Fundada em 2000, a Webhelp é um grupo de origem francesa especializado na subcontratação de processos empresariais (Business Process Outsourcing) de âmbito mundial.

Está actualmente presente em 27 países, tem 35.000 colaboradores e possui uma carteira de clientes nos mais variados sectores, desde telecomunicações, energia, transportes, turismo ou serviços financeiros.

Em Portugal está em pleno processo de expansão, querendo reforçar a sua presença até final de 2018.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub