Turismo & Lazer Zomato vítima de ataque informático: 17 milhões de utilizadores com dados roubados

Zomato vítima de ataque informático: 17 milhões de utilizadores com dados roubados

Meios de comunicação indianos, citando um sítio especializado, referem que o arquivo de dados pirateados foi vendido em leilão por mil dólares numa rede paralela anónima.
Zomato vítima de ataque informático: 17 milhões de utilizadores com dados roubados
Bruno Simão
Lusa 18 de maio de 2017 às 13:56
A maior plataforma online indiana de reservas de restaurantes e entrega de refeições, Zomato, anunciou hoje o roubo de dados pessoais de 17 milhões de utilizadores, num ataque informático, mas garantiu que as informações financeiras não foram afectadas.

Os piratas informáticos conseguiram aceder aos nomes, endereços electrónicos e palavras-passe encriptadas dos clientes da plataforma.

A 'startup' de origem indiana, que também opera em Portugal, assegurou que os atacantes não dispõem dos códigos para descodificar estas palavras-passe.

O responsável informático da Zomato, Gunjan Patidar, citado pela agência France-Presse, afirmou que os dados financeiros dos clientes estão alojados numa base de dados diferente, que não foi atingida neste ataque, e que, por isso, eles não foram comprometidos.

"Nenhuma informação relativa aos pagamentos foi roubada", declarou a Zomato, num comunicado divulgado na página da internet da plataforma, que indicou também que os trabalhadores da 'startup' reviram todos os sistemas para averiguar outros eventuais roubos.

"Os vossos dados de cartões de crédito na Zomato estão totalmente em segurança, portanto não é preciso ficarem preocupados", garantiu Patidar.

As palavras-passe dos utilizadores atingidos foram modificadas "por precaução", refere a mesma nota.

Meios de comunicação indianos, citando um sítio especializado, referem que o arquivo de dados pirateados foi vendido em leilão por mil dólares numa rede paralela anónima.

A Zomato, que reivindica 120 milhões de visitas mensais, afirmou que vai reforçar os protocolos de segurança.

A empresa, fundada em 2008, opera em 24 países.

A pirataria foi anunciada alguns dias depois do grande ataque informático do vírus Wannacry, que atingiu centenas de milhares de computadores em todo o mundo na semana passada.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub