Empresas Zon altera estatutos a pedido dos accionistas

Zon altera estatutos a pedido dos accionistas

Os accionistas da Zon aprovaram, na sexta-feira, a alteração aos estatutos que permite a accionistas como Isabel dos Santos reforçar no capital da operadora.
Hugo Paula 29 de abril de 2012 às 19:34
Os accionistas da Zon aprovaram, na sexta-feira, a alteração aos estatutos que permite a accionistas como Isabel dos Santos reforçar no capital da operadora.

A cotada liderada por Rodrigo Costa detém um limite de 10% sobre o capital que pode ser controlado por accionistas que exerçam "actividade concorrente" à da Zon. Mas na sexta-feira 77,8% do capital representado na assembleia-geral de accionistas da operadora concordaram, por unanimidade, em alterar a definição de operador concorrente.

A alteração poderá permitir que Isabel dos Santos reforce a posição na Zon. A filha de José Eduardo dos Santos controla 10,00% da cotada através da Kento Holding. Isabel dos Santos detém participação na operadora portuguesa e na angolana Unitel, duas operações de telecomunicações. A proposta, que constava do ponto quatro da ordem de trabalhos, consistia no "esclarecimento de uma dúvida de interpretação desse ponto dos estatutos, que alguns accionistas levantaram", explicou o presidente do conselho de administração da cotada, Proença de Carvalho. Dúvidas que levaram ao seu esclarecimento de "forma interpretativa nos estatutos", disse.

Joaquim Oliveira "mais do que descansado" no final de AG

O tom era de satisfação no final da assembleia-geral de accionistas. Pouco menos de uma hora depois do início da reunião, era já anunciada a aprovação de todas as propostas da ordem de trabalho. "Estamos satisfeitos com a forma como a assembleia decorreu", disse o presidente do conselho de administração.

Os jornalistas dedicavam a maior parte das atenções à decisão sobre a alteração dos estatutos, que "também foi aprovada por unanimidade". A excepção a esta regra verificou-se na aprovação do ponto das remunerações, onde 0,2% dos votos foram contra e 14% optaram pela abstenção, disse o director de informação, Paulo Camacho, ao Negócios.

Joaquim Oliveira também fez um balanço positivo da reunião: "como vocês viram e toda a gente tem dito, correu tudo óptimo", disse. "Se estou descansado? Estou mais do que descansado", quanto à possibilidade de alterações na estrutura accionista, respondeu.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ramed Ahcor Há 3 semanas

Os accionistas da ZON, que só pensam nos muitos milhões que "ainda" podem ganhar com a empresa, estão a ESQUECER o essencial de qualquer negócio: os CLIENTES.
Na verdade, a ZON tem uma estrutura comercial do mais reles e fraco que existe no mundo (até) dos pequenos negócios.
A ZON trata os clientes abaixo de cão (eu sou cliente, senhores, sei do que falo), muito por culpa de funcionários "atendedores telefónicos" que não têm formação cultural e profissional para o desempenho das funções. Raramente uma pergunta telefónica tem resposta ou solução (ao contrário do pessoal das lojas físicas).
Então o seu "atendedor I.F." é um "tratado" de incompetência e estupidez, merecendo o epíteto de "Espanta Clientes" da ZON... Basta telefonar e sair na rifa o tal I.F., para logo sermos convidados a cortar os serviços. Mesmo pagando mais de 100 euros por mês como eu...

pub