Energia Bloco quer que as "energéticas que têm lucro a mais tenham um bocadinho menos de lucro"

Bloco quer que as "energéticas que têm lucro a mais tenham um bocadinho menos de lucro"

Catarina Martins diz que o diálogo entre o Bloco de Esquerda e o Governo ficou "muito mais complicado de fazer" depois do volte face na taxa das renováveis.
Bloco quer que as "energéticas que têm lucro a mais tenham um bocadinho menos de lucro"
Pedro Elias
Negócios 08 de dezembro de 2017 às 10:10
O Bloco de Esquerda diz que o Governo cedeu à pressão do sector energético quando recuou na taxa das renováveis. Em entrevista ao jornal Expresso esta sexta-feira, 8 de Dezembro, Catarina Martins considera que o episódio do volte-face do PS foi "grave" pois a medida tinha sido debatida tecnicamente com os Ministérios da Economia e das Finanças, e acabou por criar um  "problema de diálogo com o Governo".

O diálogo entre o Bloco de Esquerda e o Governo vai assim ficar "muito mais complicado de fazer", pois significa que a "negociação técnica com os Ministérios não é a última palavra" para aprovar uma medida no Parlamento.

A coordenadora do Bloco aponta que a porta giratória entre os governos e o sector eléctrico criou o "lóbi das energéticas em Portugal". 

"Que se tenha desperdiçado a oportunidade de corrigir um bocadinho esta distorção e ainda por cima da forma como foi, depois da medida estar negociada, é para nós uma capitulação do Governo e do PS a esta pressão das energéticas. Não encontramos nenhuma outra justificação", dispara Catarina Martins.

E garante que o Bloco "não vai ficar parado nesta matéria", pois há socialistas que a apoiam, assim como o PCP.

Sobre a possibilidade de redução do IVA na electricidade, defende essa descida "mas não para permitir pagar lucros excessivos às energéticas".

"O que nós queremos é que as energéticas que têm lucro a mais tenham um bocadinho menos de lucro para baixar a tarifa energética sem despesa fiscal. São duas questões diferentes. Não há nada que interesse mais às energéticas do que a conta da luz baixar com despesa fiscal em vez de ir aos seus lucros excessivos", disse Catarina Martins ao Expresso.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Farto de chulos 09.12.2017

Sou acionista e com as minhas poupanças investidas para retornos liquidos de 4%... portanto quero que chupes mais no karalho

Anónimo 09.12.2017

A Catarina Martins não tem muita coisa naquela cabecinha. É mais ou menos como dizer que o BE tem de ter um bocadinho menos de deputados do que os que conquistou nas urnas. A outra palhaçada do BE é querer aumentar os impostos sobre as ... renováveis?? se ainda fossem sobre as poluentes...

Anónimo 08.12.2017

A traidora Catarina só tem estas "tangas " para enganar o povo. Quis foi dar tachos aos amigos. Louçã no BP que com medo já veio avisar para o perigo da nova crise.

Anónimo 08.12.2017

Venha a eutanásia para os insanos

ver mais comentários
pub