Energia EDP Comercial aumenta preço da luz em 2,5% em 2018

EDP Comercial aumenta preço da luz em 2,5% em 2018

A EDP Comercial vai aumentar em média o preço da energia em 2,5%. Esta actualização vai abranger 4 milhões de clientes. A Endesa e a Iberdrola ainda não têm nenhuma decisão sobre as tarifas para 2018.
EDP Comercial aumenta preço da luz em 2,5% em 2018
Bloomberg
Sara Ribeiro 28 de dezembro de 2017 às 12:36

Afinal a factura da luz vai ficar mais cara para a maioria dos portugueses. Depois do regulador do sector (ERSE) ter anunciado a descida em 0,2% do preço do mercado regulado, a EDP Comercial anunciou que as tarifas do mercado livre vão subir, em média, 2,5%.

 

Esta actualização vai entrar em vigor a partir de 18 de Janeiro e vai abranger 4 milhões de clientes. Na prática, este aumento vai reflectir-se num acréscimo de um euro por mês, em média, na factura.

Contactadas pelo Negócios, a Endesa e a Iberdrola referiram que ainda não tomaram nenhuma decisão sobre o tema.

 

Num encontro com jornalistas, Miguel Stilwell de Andrade, administrador da EDP, justificou esta medida com "o aumento de preços da energia no mercado grossista em 24% no último ano", em grande parte devido à seca e, consecutivamente, ao aumento do preço do carvão. Os dados são relativos até Setembro de 2017.

Porém, o responsável garante que a EDP "mantém os preços competitivos face ao mercado regulado", com excepção do segmento bi-horário.

 

A EDP Comercial  vai transferir este custo para a componente fixa da factura da luz, ou seja, para a potência contratada. Como a componente variável (do consumo) representa 79% do total, se fosse aplicada nesta componente o aumento seria superior, explicou o responsável. "Fizemos o esforço de tentar controlar o aumento das tarifas em 2,5% e de tentar priveligiar as famílias mais numerosas e com maiores consumos", detalhou.

 

Com as novas tarifas, o preço da electricidade no mercado livre - que soma quase 5 milhões de clientes no total - é superior em média em1,9% das tarifas reguladas. O mercado regulado soma perto de 1,25 milhões de clientes.

Questionado sobre as razões que permitem baixar os preços do mercado regulado, ao contrário do liberalizado, Miguel Stilwell de Andrade explicou que no regulado "os custos podem passar o ano seguinte, enquando no mercado livre não". Além disso, a EDP considera que as condições estipuladas pela ERSE não reflectem o aumento dos preços grossistas.

 

A EDP informou ainda que já começou a enviar cartas aos clientes a comunicar a recente actualização dos preços. Depois de receberem o aviso têm 14 dias para tomarem uma decisão como mudar de operador ou, por exemplo, regressar ap mercado regulado. Uma opção que vai ser possível já a partir do arranque do próximo ano.

(Notícia actualizada às 18:22 com respostas da Endesa e da Iberdrola)




A sua opinião34
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 29.12.2017

A ladroagem monopolista continua à rédea solta. Os municípios são outros que tais pois podiam muito bem se organizarem e contratarem directamente (importada ou nacional) a energia a fornecer aos munícipes.
Os SMAS são outra ladroagem. Alguém se anda a abotoar à grande e à francesa com os milhões dos resíduos e dos esgotos. Levam-nos cabelo e couro e ainda têm a distinta lata de nos pedir para separar o lixo.
Vão comer nel culo!

comentários mais recentes
soros-bq 29.12.2017

PAGA ZÉ!!

Vamos comprar o gerador de Electro e esse puhas 29.12.2017

Compremos todos geradores paineis, Solares ao turbinas de vento que esse Sacanas da edp, vao comecar a comer a Eltrecidade a pazada.E os Cornos dos Mexias Pentelhos e toda corja de ladroes das politicas que comem a messa desta prostituta d edp, terao que fazer-se a vidinha. Mas somos todos mansos.

Anónimo 29.12.2017

A ladroagem monopolista continua à rédea solta. Os municípios são outros que tais pois podiam muito bem se organizarem e contratarem directamente (importada ou nacional) a energia a fornecer aos munícipes.
Os SMAS são outra ladroagem. Alguém se anda a abotoar à grande e à francesa com os milhões dos resíduos e dos esgotos. Levam-nos cabelo e couro e ainda têm a distinta lata de nos pedir para separar o lixo.
Vão comer nel culo!

mr 28.12.2017

Para que serve o regulador? Serve para certificar-se que o consumidor leva com a "arrochada todinha" e para que o fornecedor não perca nada do lucro que lhe é devido!!! E a "galinha" do Bloco de Esterco mantenha aquele sorrisinho de felicidade quando pressente que irá tramar o Fornecedor em 2019!!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub