Energia Electricidade e gás em Portugal são os mais caros da Zona Euro

Electricidade e gás em Portugal são os mais caros da Zona Euro

Os dados do Eurostat mostram que as famílias portuguesas são as que suportam a maior factura com a electricidade e o gás. Na electricidade metade dos custos são impostos ou taxas.
Electricidade e gás em Portugal são os mais caros da Zona Euro

As famílias portuguesas pagaram em média 22,9 euros por cada 100 kWh de electricidade consumida no segundo semestre do ano passado. Trata-se do sexto valor mais elevado entre todos os países da Zona Euro, só atrás da Alemanha, Irlanda, Itália, Espanha e Bélgica.

 

Contudo, quando alterado o "ranking" para ter em conta a paridade de poder de compra padrão (PPS, na sigla inglesa), constata-se que os portugueses suportam a factura mais elevada com a electricidade que consomem.

 

Segundo o Eurostat, em Portugal, a electricidade custava 29,3 PPS (unidade monetária artificial que elimina as diferenças de níveis de preços entre os países) na segunda metade do ano passado. Em segundo lugar surge a Alemanha (28,3) e em terceiro a Espanha (26,5).

 

Portugal lidera o "ranking" depois de os preços terem aumentado 2,4% no segundo semestre, um agravamento em linha com a média dos países da Zona Euro.

 

O elevado custo da electricidade em Portugal é também justificado pela carga fiscal e taxas que incidem sobre a electricidade no país. Os dados do Eurostat mostram que metade do que os portugueses pagam na factura da luz vai para impostos e taxas (como a taxa audiovisual). Trata-se do segundo valor mais elevado entre todos os países da Zona Euro, só superado pela Alemanha (52%).

 

Gás em Portugal custa mais 20% do que em Espanha

 

Se no caso da electricidade é preciso os PPS para concluir que os portugueses pagam mais pela electricidade, no gás nem é necessário.

 

No segundo semestre do ano passado uma família portuguesa pagou em média 9,8 euros por 100 kWh de gás natural, o valor mais elevado entre todos os países da Zona Euro. Mesmo contemplando todos os países da Europa, só na Suécia o preço é superior (12).

 

Utilizando os PPS, a discrepância no custo do gás para os portugueses é ainda maior. O preço em Portugal é de 12,6 PPS, 21% acima do valor registado no segundo país onde o gás natural é mais caro (Espanha, com 10,4).

 

Isto apesar de os preços do gás natural em Portugal até terem recuado 5,5% no segundo semestre, de acordo com o Eurostat. Em Portugal os impostos representam 23% da factura com gás natural, o que se situa em linha com a média dos países da Zona Euro e União Europeia.    

O preço do gás natural em Portugal vai registar a maior descida de sempre este ano. A tarifa de 400 mil clientes domésticos vai recuar 18,5% este ano. A primeira descida teve lugar em Maio (6,1%) e a segunda vai ter lugar em Julho (13,3%). Esta é a segunda descida anual consecutiva do gás e, além dos domésticos, também vai beneficiar as pequenas, médias e grandes empresas. Os preços do gás natural vão sofrer uma redução devido ao facto da cotação do gás natural estar indexada ao preço do petróleo.


A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 dia

Qual é a novidade??? As pessoas continuam sem perceber que vivem num pais feudal, em que elas sao os servos. Somos explorados e sangrados com impostos, taxas e taxinhas.

comentários mais recentes
Anónimo Há 16 horas

Se fosse so isto,levantaria-mos as maos para Deus.E o resto?

adolfodido Há 18 horas

E por esta e por outras, que os chineses andam de olhos em bico com o vencimento do merdexia1

Anónimo Há 1 dia

Pois há que pagar o resultado de uma má gestão, de políticas erradas e de uma ERSE, que apenas serve para garantir os lucros dos interesses instalados.
Se Portugal: tem, durante a noite, excesso de produção de energias renováveis; se, como consequência disso chega a dar energia a Espanha; se durante o dia compra energia ou gasta gás, importado, para produzir a energia necessária ao incremento da procura,
Porque não se incentiva a transferência de consumos para a noite? É criminoso que a ERSE defina, no bi-horário, uma tarifa, diurna mais cara 0,0313€ que tarifário simples, o que em vez de um incentivo, funciona como um entrave.
Porque não se incentiva o transporte em comboio, durante a noite, de veículos de utilização rodoviária, que os ingleses designam por 'Road-Rail'.? Aproveitavam-se os excedentes noturnos de energia; diminuía -se o desgaste da rede viária, com a consequente diminuição dos custos de manutenção; diminuíam os acidentes, com a consequente diminuição dos custos de saúde, das seguradoras e das perdas de produtividade; diminui-se o emissão de CO2, permitindo cumprir as regras em vigor e se se gerasse um saldo positivo, poderíamos negociá-lo no mercado internacional de carbono; reduziam-se as importações de produtos petrolíferos; reduziam-se os encargos com a manutenção dos veículos rodoviários e o seu desgaste, etc. etc.

ABCDEF1 Há 1 dia

Isto é pior que viver nos países comunistas. Vivemos num pais de ladrões. O que gamam nos alugueres de contadores( agora tem outro nome este roubo) e até se paga para os postes dos telefones, tubos do gás que passam na rua e sei lá que mais. E o mais interessante é que OS ROUBOS TAMBÉM PAGAM IVA.
E quanto á água? Na água de Cascais gastei 4 metros a 0.4966 cada sendo o valor de 1.99. Sabem quanto paguei? 28.95 ou seja um gamando de 26.96. Isto é demais. Que roubalheira. Se não fossemos um povo cobarde isto já tinha mudado de rumo.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub