Energia Fundo europeu financia duas centrais de biomassa em 105 milhões de euros

Fundo europeu financia duas centrais de biomassa em 105 milhões de euros

As duas centrais de energia a biomassa, em Viseu e no Fundão, deverão estar totalmente operacionais na primeira metade de 2019.
Fundo europeu financia duas centrais de biomassa em 105 milhões de euros
Negócios com Bloomberg 19 de junho de 2017 às 16:07

Duas centrais de energia a biomassa que estão a ser construídas em Portugal vão ser financiadas em 105 milhões de euros pelo Marguerite Fund, um fundo de investimento pan-europeu que actua como catalisador para investimentos em energias renováveis e transportes.

 

A informação foi avançada esta segunda-feira, 19 de Junho, pela Bloomberg, e confirmada pelo Negócios junto do Marguerite Fund. 

 

O financiamento para os dois projectos, em Viseu e no Fundão, fechou a 6 de Junho e foi 90% garantido pelo Marguerite Fund, que conta com investidores como o Banco Europeu de Investimento, Caisse des Dépôts et Consignations, Cassa Depositi e Prestiti, Instituto de Crédito Oficial, Kreditanstalt für Wiederaufbau e PKO Bank Polski. O projecto será financiado com 75% de dívida e 25% de capital, sendo que a dívida tem um prazo de 17 anos, segundo uma porta-voz do fundo. 

 

As centrais, que terão uma potência instalada de 15 megawatts, cada uma, "vão ajudar a reduzir o risco de incêndios florestais, um problema recorrente em Portugal", segundo o comunicado citado pela agência noticiosa, que dá conta que os projectos deverão estar totalmente operacionais no primeiro semestre de 2019.

 

A notícia é avançada numa altura em que o país enfrenta um dos mais trágicos incêndios de que há memória, que já resultou na morte de, pelo menos, 63 pessoas.

 

O licenciamento das centrais, que derivam de concursos públicos lançados em 2006, foi aprovado pelo Governo em Julho do ano passado. 

(Notícia actualizada às 17:18)


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

Tenho muita pena é dói me o coração ao pensar nas pessoas que morreram enorme seu sofrimento mas tenho também muita pena dos familiares que agora sofrem a morte dos seus familiares e amigos Mas não posso deixar de contestar os nossos políticos porque são eles que directa ou a tudo isto

JOSE Há 4 dias

Aqui está o disparo da The Navigator Company................................................................................................................................................................................................................................................................

pub