Energia Há petróleo em Portugal?

Há petróleo em Portugal?

Existe petróleo e gás natural em Portugal? Pode o país tornar-se a médio prazo num produtor destes hidrocarbonetos? A resposta é simples, mas não é linear. Há petróleo, sim, mas é preciso ter em conta vários aspectos.
Há petróleo em Portugal?
Bloomberg
André Cabrita-Mendes 03 de outubro de 2015 às 11:00

1 - Mas porque é que agora há várias empresas à procura de petróleo em Portugal?


Na verdade, o interesse das petrolíferas por procurar hidrocarbonetos em Portugal já tem décadas. A primeira demonstração de interesse surgiu no final da década de 30, mas a primeira exploração só teve lugar 10 anos depois, no final da década de 40.

2 - O que explica este interesse em Portugal?


Por duas razões. A primeira são as formações geológicas."No período Jurássico, a terra estava unida e Portugal estava colado com a zona da Nova Escócia, no Canadá, onde actualmente existe uma grande produção de petróleo. E as formações geológicas são relativamente as mesmas, é um bocado como Angola e a bacia de Santos no Brasil", explicou o presidente da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC), Paulo Carmona, ao Negócios à margem da conferência "Petróleo em Portugal", no passado dia 28 de Setembro.

A segunda razão são as descobertas recentes de petróleo na Mauritânia e Marrocos e também o campo de gás natural de Poseidon em Cadiz, Espanha. Segundo os peritos, a proximidade de Portugal com estas descobertas, aumenta as possibilidades de o mar português conter hidrocarbonetos no seu subsolo.

3 - Existe então a possibilidade de encontrar petróleo em Portugal?

"Há petróleo, mas não em quantidade suficiente", este é o diagnóstico do presidente da ENMC sobre a actual situação.

Desde 2007 que foram feitas 175 sondagens no "offshore" (no mar) português com 117 a demonstrarem indícios de petróleo e de gás. As várias companhias petrolíferas gastaram 264 milhões de dólares entre o período 2007-2013 para pesquisar estes recursos em Portugal.

"Mais de metade da Zona Económica Exclusiva (ZEE) tem potencial petrolífero", disse, por sua vez, José Miguel Martins, responsável da ENMC, na conferência de 28 de Setembro.

4 - Há novos interessados em pesquisar petróleo em Portugal?

Sim. A Australis Oil & Gas é a mais recente empresa a obter luz verde do Governo para procurar petróleo e gás natural no território português. A chegada da Australis a Portugal foi anunciada e formalizada esta semana.

"Esperamos nos próximos anos estar a produzir petróleo e gás natural em Portugal", disse o responsável da Australis, Ian Lusted, ao Negócios, à margem da conferência "Petróleo em Portugal" no dia 28 de Setembro.

A companhia obteve permissão para prospecção, pesquisa e exploração nas áreas de Batalha e Pombal, localizadas na Bacia Lusitânica, no centro do país. Sobre a terceira área para a qual submeteu uma licença, a Australis está "à espera de fechar o processo".

O responsável sublinhou que há potencial de gás natural nestas áreas, mas que "agora é preciso descobrir se conseguimos transformar isto num projecto comercial".

5 - O que é que o futebol em Portugal tem a ver com petróleo?

À primeira vista, nada. Mas recentemente um antigo dirigente de futebol começou a procurar por petróleo no mar do Algarve.

A Portfuel - Petróleos de Portugal obteve em Setembro permissão por parte do Governo português para iniciar a prospecção de petróleo e gás natural no "onshore" (em terra) algarvio, nas zonas de Aljezur e de Tavira.


Esta empresa pertence ao empresário Sousa Cintra, presidente do Sporting entre 1989 e 1995, nesta que é a sua primeira incursão na pesquisa de hidrocarbonetos.

6 - Mas além destas prospecções, estão planeadas algumas perfurações para breve?

Sim, no próximo ano. A Eni anunciou esta semana que pretende efectuar uma perfuração ao largo da costa alentejana.  

Esta vai ser a primeira perfuração no "deep offshore" (águas profundo) do Alentejo, com o responsável da Eni em Portugal, Franco Conticini, a reconhecer que "trabalhar nas águas profundas não é fácil e não é barato". 

A petrolífera italiana detém 70% deste consórcio com os restantes 30% a pertencer à Galp. A perfuração do poço vai ter lugar ao largo de Sines. "No próximo ano vamos perfurar um poço na concessão chamada Santola, a 80 quilómetros do porto de Sines", afirmou o responsável da companhia transalpina.

Franco Conticini destacou o facto de Portugal ter a "maior extensão de área 'offshore'" da Europa e deixou elogios às infra-estruturas em Sines. "O Porto de Sines é uma estrutura eficiente e está habituada a trabalhar na área de energia. Vai fornecer um bom suporte", sublinha.

 

7 - Mas a Repsol não tinha planeada uma perfuração no mar do Algarve este ano?

Tinha mas não vai avançar, por enquanto. A petrolífera espanhola está à procura de parceiros para procurar gás natural no Algarve e pediu ao Governo um adiamento até Outubro do próximo ano. "Em Peniche não precisamos de mais, mas no Algarve precisamos de parceiros", disse ao Negócios Álvaro Arnáiz Giménez-Coral da Repsol Portugal.


A descoberta do campo Poseidon de gás natural no golfo de Cadiz em Espanha pela Repsol, veio acender o interesse pelo mar do Algarve. 

Esta perfuração é de sondagem, isto é, a companhia vai perfurar o fundo do mar e enviar uma sonda para apurar se existe gás natural em quantidades suficientes para explorá-lo comercialmente.

A grande questão são os elevados custos. Uma perfuração destas custa em média 60 milhões de euros, daí a petrolífera procurar parceiros para mitigar os riscos e os custos, uma prática, aliás, comum nesta indústria.

8 - Portugal pretende abrir o mar português a mais empresas?

Sim. Portugal vai atribuir novas concessões de prospecção e produção de petróleo e gás natural nas suas águas. O concurso vai ser lançado nos próximos meses e vai atribuir sete licenças nas bacias do Porto e do Algarve.


"Está-se a preparar um concurso para atribuição de áreas. São quatro áreas no 'shallow offshore' (águas pouco profundas) na bacia do Porto, outras duas áreas no 'deep offshore' (águas profundas) na bacia do Porto e uma área no 'deep offshore' da bacia do Algarve", disse José Miguel Martins da ENMC esta semana.

A abertura de nova concessão no Algarve acontece depois de uma empresa internacional ter-se interessado por esta concessão. Devido a este interesse, o Governo avançou para a abertura do concurso público.

9 - Existe alguma zona em particular que concentre a atenção das empresas?

Em Portugal, a maioria da prospecção de petróleo e gás natural está centrada na Bacia Lusitânica. Mas o potencial das restantes bacias está sub-avaliado, aponta José Miguel Martins da ENMC.

"A maior parte das sondagens está concentrada na Bacia Lusitânica, não temos nenhuma em águas profundas do Alentejo e de Peniche, nunca foi perfurada nenhuma sondagem de pesquisa", afirmou.


"A Lusitânica é a mais perfurada, mas há estruturas que nunca foram perfuradas. As outras bacias então nunca foram perfuradas, ainda há muito trabalho para fazer", disse.


10 - E se descobrirem gás natural no mar do Algarve?

Isso seria um ponto de viragem para Portugal. Esta é a crença do presidente da Partex, António Costa Silva, que aposta que tal descoberta daria um empurrão à economia nacional.

A Partex é parceira da Repsol nesta prospecção e o presidente da petrolífera nacional destaca a importância da descoberta de gás natural em quantidade suficiente para ser explorado comercialmente.

"O país importa todos os anos 1.500 milhões de euros de gás e uma descoberta nacional, a possibilidade de produzir gás no país pode ser um 'turning point' para Portugal", afirmou.

O especialista justificou a importância desta eventual descoberta com o peso da factura energética de Portugal, que todos os anos gasta entre 6.000 milhões e 8.000 milhões de euros para comprar energia ao exterior. "Temos uma factura energética excessiva. Esta é a maior renda que o país paga e tem de ser diminuída", conclui.




pub