Energia Lítio transmontano pode tornar Portugal o primeiro produtor da Europa

Lítio transmontano pode tornar Portugal o primeiro produtor da Europa

A Mina do Barroso, no concelho de Vila Real, tem mais 50% de reservas de lítio estimadas. Portugal pode tornar-se o primeiro produtor de lítio da Europa.
Lítio transmontano pode tornar Portugal o primeiro produtor da Europa
Bloomberg
Raquel Murgeira 03 de maio de 2018 às 12:15

A britânica Savannah Resources actualizou as previsões sobre a quantidade de espodumena, um mineral que contém lítio, existente na Mina do Barroso. As novas estimativas apontam para mais 50% do que o previsto inicialmente, de acordo com um comunicado  emitido esta quarta-feira, 2 de Maio.

A empresa comunicou assim um aumento de 52% nas reservas previstas de espodumena e admite que existam pelo menos 14 milhões de toneladas deste mineral na Mina do Barroso, no concelho de Vila Real. A Savannah Resources começou à procura por lítio em Portugal em Maio do ano passado.

"Acreditamos que a Mina do Barroso tem o potencial para ser a peça-chave na cadeia de valor emergente de lítio na Europa" e que "poderá ajudar no processo de transacção dos fabricantes automóveis europeus para a produção de veículos eléctricos", afirma David Archer, CEO da Savannah, citado no comunicado da empresa.

Os preços dos compostos de lítio aumentaram nos últimos anos devido à expectativa de uma procura maior pelo mineral, essencial para fabricar as baterias dos carros eléctricos. A Europa consome cerca de 20% da oferta global de lítio utilizado nas baterias dos veículos eléctricos, no entanto, importa 100% do mineral, de acordo com a companhia do sector energético, citada no Finantial Times.

O líder da Savannah Resources acredita que esta possa ser "a maior reserva de espodumena na Europa Ocidental". E acrescenta que "é importante salientar que o concentrado de espodumena é o produto mineral de lítio dominante nas transacções internacionais, e não existindo actualmente qualquer produtor europeu, acreditamos que Portugal poderá ser o primeiro fornecedor de espodumena, graças ao potencial de desenvolvimento no curto-prazo da Mina do Barroso".

Esta é já a segunda actualização em dois meses, por parte da companhia, sobre os recursos minerais do depósito português. A empresa britânica pretende analisar a viabilidade da mina de Trás-os-Montes e fazer novas actualizações nos próximos meses, segundo avança em comunicado.

A actividade de perfuração está em andamento com "potencial para novas descobertas" a ser considerada "excelente" pela empresa, citada no comunicado. A companhia admite ainda uma decisão final sobre os desenvolvimentos da mina em 2019, para a qual tem um contracto de arrendamento de 30 anos. A Mina do Barroso tem três depósitos e ocupa uma área de 1.018 quilómetros quadrados.




pub