Energia Repsol supera mil milhões em prejuízos e corta dividendos

Repsol supera mil milhões em prejuízos e corta dividendos

O impacto negativo dos preços do petróleo mergulhou as contas da companhia espanhola no "vermelho". Mas, sem contar com provisões, o último trimestre acabou por superar as expectativas dos analistas.
Repsol supera mil milhões em prejuízos e corta dividendos
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 25 de Fevereiro de 2016 às 10:22

A queda dos preços do petróleo continua a fazer "mossa" nas contas das energéticas. A espanhola Repsol fechou 2015 com prejuízos de 1.227 milhões de euros, o que compara com lucros de 1.612 milhões um ano antes, com os resultados a serem penalizados pela realização de mais provisões e a levarem a empresa a cortar dividendos.


A petrolífera teve de colocar de lado quase três milhões de euros no exercício passado para acomodar a desvalorização dos seus activos, provocada pela queda dos preços do ouro negro nos mercados internacionais.


Na próxima assembleia-geral, também a remuneração para accionistas deverá reflectir as perdas, com a espanhola a propor um dividendo extraordinário de 30 cêntimos por acção, o que leva o valor total de dividendos distribuídos, em 2015, a representar 20% do dividendo ordinário entregue um ano antes, refere o jornal Expansión. 

De acordo com a Bloomberg, este é o primeiro corte de dividendos na empresa desde 2009. No ano passado, a companhia perdeu metade do seu valor em bolsa, tornando-se no pior desempenho entre as seis principais energéticas europeias.

Sem efeitos extraordinários, contudo, o resultado líquido teria sido positivo em 1.860 milhões de euros, mais 9% do que em 2014, com a actividade de refinação e distribuição a compensar as perdas do negócio de exploração e produção. Os resultados ajustados do último trimestre ficaram acima do previsto pelos analistas citados pela Bloomberg: 461 milhões de euros contra os 451,1 milhões previstos.


O recuo dos preços da energia forçou o desinvestimento em áreas "non-core", para as quais a empresa tem programadas alienações de 6.000 milhões de euros até 2010. A venda ao grupo chinês SDIC Power do seu negócio eólico no Reino Unido, numa transacção de 238 milhões de euros, é a venda mais recente, fazendo ascender a 2.500 milhões as alienações nos últimos cinco meses.

Os títulos da Repsol avançam 2,27% na bolsa de Madrid às 9:41 para 8,78 euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub