Imobiliário Antiga sede da Força Aérea britânica transformada numa Penthouse de 2,6 milhões

Antiga sede da Força Aérea britânica transformada numa Penthouse de 2,6 milhões

O imóvel oferece uma vista panorâmica sobre Londres e conta com dois aviões militares no jardim.
Bloomberg 19 de agosto de 2018 às 12:00

Bentley Priory, que faz parte da história britânica há mais de 600 anos, rodeada de 23 hectares de parques bem cuidados, já foi a residência real da rainha-viúva Adelaide, mulher do rei Guilherme IV, e sede do comando da Força Aérea Real (RAF, na sigla em inglês) durante a Segunda Guerra Mundial. O edifício foi reformado há 10 anos e a Penthouse está à venda pela segunda vez na história, por um preço inicial de 2,4 milhões de libras (2,6 milhões de euros).

 

O imóvel de luxo é chamado de Dowding Suite em homenagem a Sir Hugh Dowding, o brigadeiro que comandou as operações da RAF do local durante a Batalha de Inglaterra em 1940. (De realçar que o Bentley Priory Museum - dedicado à batalha - ocupa o espaço térreo e o subsolo da mansão).

 

"A sala de operações de Dowding era ali e Sir Hugh Dowding podia ir ao topo do edifício e ver os aviões que voltavam durante as batalhas", disse Douglas Sleaper, corretor da Savills, sobre a propriedade incluída no Historic England.

 

Com entrada pelo primeiro andar do complexo mansão/casa de campo renovado, o apartamento de três quartos e três casas de banho, de 212 metros quadrados, ocupa três andares, e a suíte fica no andar superior. Os terraços (são três) oferecem vistas deslumbrantes da cidade, incluindo monumentos como London Eye, BT Tower e Shard. A unidade possui quatro espaços de estacionamento - dois subterrâneos e dois externos - e porteiro 24 horas.

  

História

A Bentley Priory já viveu muitas vidas. A propriedade data do século XV, quando era um mosteiro, mas não restam estruturas da época. O rei Henrique VIII deu o terreno a Robert Needham e William Sacheverell em 1546 e depois, em 1775, foi vendido a James Duberly.

 

Posteriormente, o edifício foi revendido ao Honorável John Hamilton, o nono Conde de Abercorn, em 1778. Hamilton contratou o célebre arquitecto Sir John Soane para ampliar e reformar a casa, que já era grande. A rainha Vitória e o príncipe Albert tornaram-se visitantes frequentes quando a rainha-viúva Adelaide se mudou para lá em 1848.

 

Quase 40 anos mais tarde, em 1885, Frederick Gordon, famoso fundador do Hotel Metropole, de Londres, transformou a mansão num hotel - e construiu uma ferrovia privada para o servir – , mas não durou muito. De 1908 até 1924, o local foi usado como escola feminina e em 1936 o Comando de Caças da RAF tomou conta da propriedade. Após um incêndio devastador em 1979, a rainha Isabel decidiu que a mansão fosse restaurada, mas as obras foram feitas muito à pressa e sem seguir exactamente a planta original de Soane.

 

A mediadora imobiliária britânica City & Country realizou a restauração e renovação mais recente, adicionando oito apartamentos e o museu. Posteriormente, foram construídas residências independentes no terreno.


(Texto original: Former WWII Command Post Is Now a $3 Million Penthouse)




pub