Indústria Fábricas de pão e de bolos "fermentam" negócio de 675 milhões

Fábricas de pão e de bolos "fermentam" negócio de 675 milhões

Perto de 25 mil portugueses têm o seu ganha-pão neste sector industrial constituído por micro e pequenas empresas. As exportações até evoluíram a um ritmo superior em 2017, mas continuam abaixo das compras no estrangeiro.
Fábricas de pão e de bolos "fermentam" negócio de 675 milhões
Bloomberg
António Larguesa 03 de setembro de 2018 às 15:44

O mercado de panificação e pastelaria industriais gerou receitas de 675 milhões de euros em 2017, um crescimento de 3,8% face ao anterior exercício. O sector é constituído por 6.202 empresas, que asseguram perto de 25 mil postos de trabalho em Portugal.

 

Um estudo elaborado pela Informa D&B mostra uma concentração (70%) destas fábricas nas regiões Norte e Centro e também um "alto grau de atomização, com predomínio das empresas de reduzida dimensão": mais de 80% não chega aos dez funcionários e só oito operadores têm mais de 250 trabalhadores no quadro.

 

No que toca à evolução do negócio, o relatório divulgado esta segunda-feira, 3 de Setembro, destaca a evolução homóloga de 5,1%, para 205 milhões de euros, registada no segmento de massas congeladas, que estão a substituir os produtos tradicionais dos segmentos de panificação e bolos, em particular nos canais da hotelaria e da restauração.

 

Apesar de as exportações até terem crescido a um ritmo superior ao das importações (6,9% vs. 4,1%) no ano passado, a balança comercial neste sector de actividade continua a ser deficitária, com uma cobertura de 1,5.

As vendas ao exterior totalizaram 218 milhões de euros – Espanha é o maior destino, com uma quota a rondar os 40% –, e ficaram abaixo dos 329 milhões de euros comprados pelos portugueses às fábricas de panificação e pastelaria no estrangeiro, com predomínio também neste particular para o país vizinho.

A maior fabricante portuguesa de produtos de padaria e pastelaria é a Panike, que está a investir 24 milhões de euros na unidade de Santo Tirso, especializada na produção de pão – tem outra na Maia dedicada à pastelaria. Além dos "panikes", a empresa liderada por Henrique Soares produz, entre outros artigos, cerca de 80 tipos de pão, pastéis de nata, queques, queijadas, massa folhada, pizzas e bolo-rei.




pub