Indústria França reforça liderança nas compras de mobiliário português

França reforça liderança nas compras de mobiliário português

Vendas ao exterior aumentaram 9% nos primeiros nove meses do ano, enquanto as importações do sector registam nova quebra de 14% no mesmo período. Há um novo recorde à vista no final do ano.
França reforça liderança nas compras de mobiliário português
Ricardo Castelo
António Larguesa 14 de novembro de 2013 às 13:36

As exportações de mobiliário e colchoaria subiram 15% em Setembro, contribuindo um crescimento acumulado de 9% até ao fecho do terceiro trimestre, correspondente à venda de 881 milhões de euros ao exterior. Metade é de “mobiliário para casa e outros fins”, 40% de assentos (excluindo para automóveis e aeronaves), 7,8% de colchoaria e 1,6% de mobiliário de Medicina, que, em termos relativos, continua a registar o melhor comportamento.

 

Os dados compilados pela associação do sector (APIMA), a partir dos números divulgados pelo INE, mostram que, apesar de ter perdido 1% em termos de quota de exportações, o mercado francês – onde a partir de sábado as empresas voltam a concentrar o esforço promocional – aumentou a distância para Espanha como melhor destino para esta indústria tradicional (29% do total). Entre Janeiro e Setembro, os franceses compraram 256 milhões de euros, mais 6% do que em igual período do ano passado, quando ultrapassaram “nuestros hermanos” no primeiro lugar do ranking.

 

Com registos de vendas em 130 mercados, Angola continua a ocupar a terceira posição da lista, com uma quota de 11% – o volume de vendas foi praticamente o mesmo do que no período homólogo –, ainda distante dos 26% que estão em mãos espanholas. Além deste país africano, no “top 10” figura apenas outro país extra-europeu: os Estados Unidos ocupam o quinto lugar, com uma quota de 3%, mas o maior crescimento neste período (121%).

 

O saldo da balança comercial sectorial está cada vez mais superavitário, já que as importações decresceram 14% nos primeiros nove meses deste ano, ascendendo a 362 milhões de euros. “A taxa de cobertura das exportações pelas importações do período em referência é de 243%, superando a marca alcançada no mesmo período em 2012 (193%)”, assinalou ainda a APIMA através de comunicado.

 

Em 2012, as exportações do sector aumentaram pelo terceiro ano consecutivo e voltaram a bater um novo recorde, subindo 5% para 1.077 milhões de euros. Um aumento, porém, que o director executivo da APIMA, Hugo Vieira, indicou em entrevista ao Negócios que está longe de compensar as quebras registadas no mercado interno, que nos últimos dois anos terão retirado 205 milhões de euros (-14%) de facturação ao sector.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

Força exportações!

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas


"Vendas ao exterior aumentaram 9% nos primeiros nove meses do ano"
Imigrantes em força, ao menos nao os chame Frances Angolanos e Hermanos pode ser malo intedido ...

Anónimo Há 4 semanas

Força exportações!

pub