Indústria Luís Onofre é o novo líder da “indústria mais sexy da Europa”

Luís Onofre é o novo líder da “indústria mais sexy da Europa”

O designer e industrial Luís Onofre é o novo presidente da associação patronal do calçado. Derrotou Sérgio Cunha na primeira vez em que a APICCAPS teve, em 42 anos de existência, duas listas a sufrágio.
Luís Onofre é o novo líder da “indústria mais sexy da Europa”
Luís Onofre é o novo presidente da associação portuguesa dos industriais do calçado (APICCAPS).
Correio da Manhã
Rui Neves 21 de abril de 2017 às 18:25

Escolhido pela direcção liderada pelo carismático Fortunato Frederico, que esteve 18 anos à frente da organização patronal, Luís Onofre foi eleito esta sexta-feira, 21 de Abril, presidente da Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS).

 

À frente da lista A, assumindo um projecto de "continuidade" do trabalho realizado pelo seu antecessor, Onofre derrotou nas urnas Sérgio Cunha, que encabeçava uma candidatura com propostas fracturantes.

 

"Não procuro visibilidade - antes, valorizar um projecto vencedor. Este não é um tempo de rupturas. A meu lado terei a equipa de empresários que ajudou a tornar a APICCAPS num exemplo do movimento associativo, em Portugal e no estrangeiro", afirmou o novo presidente da associação quando da apresentação da sua candidatura.

Com cerca de 400 associados, foi a eleição mais concorrida de sempre da APICCAPS, com uma taxa de participação da ordem dos 80%. 

 

Esta foi a primeira vez, em 42 anos de existência, que a eleição para os órgãos sociais da APICCAPS foi disputada por duas listas.

 

Sérgio Cunha disse ter ficado desagradado com a indigitação de Luís Onofre ainda antes da realização da assembleia-geral que daria início ao processo eleitoral.

 

Já da lista concorrente surgiu a acusação de que Cunha terá furado o consenso por interferência do presidente da Câmara de Felgueiras, Inácio Ribeiro, do PSD, que queria ver um empresário do concelho na presidência da APICCAPS.

 

Luís Onofre é um dos rostos mais conhecidos da indústria do calçado internacionalmente. Com 46 anos, representa a terceira geração da fabricante de calçado Conceição Rosa Pereira, nome da sua avó e fundadora da empresa, que permanece na denominação social da companhia.

 

Foi há 18 anos que Onofre entrou na empresa de calçado da família e criou a marca em nome próprio, que aposta em exclusivo no segmento de luxo do calçado feminino.

 

Já calçou mulheres mundialmente famosas como Michelle Obama, Paris Hilton, Penélope Cruz, Cameron Diaz, Naomi Watts, Letizia Ortiz ou as portuguesas Daniela Ruah e Sara Sampaio.

 

Com uma facturação da ordem dos 12 milhões de euros, a empresa de Oliveira de Azeméis exporta 92% para os cinco continentes, vendendo em mercados tradicionais como a Espanha, Holanda e Alemanha, mas também para países como Angola, Rússia, Dubai, Nigéria e a Mongólia.

 

Luís Onofre, que já foi condecorado pelo Presidente da República, conta com uma loja na Avenida da Liberdade, em Lisboa, e vai abrir uma na portuense Avenida da Boavista.

 

A indústria portuguesa de calçado, que assume o estatuto de "indústria mais sexy da Europa", continua a bater recordes nas exportações, tendo fechado 2016 com vendas de 1,923 mil milhões de euros, o que representa um crescimento de quase 700 milhões de euros nos últimos sete anos.

 

Já em termos de fileira do calçado, as exportações deste "cluster" nacional aumentaram cerca de 300 milhões de euros só nos últimos três anos para 2,247 mil milhões de euros em 2016.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub