Indústria Nestlé vai avançar com "semáforos" nos rótulos

Nestlé vai avançar com "semáforos" nos rótulos

A Nestlé vai avançar com a alteração dos rótulos nas suas embalagens para incluir uma sinaléctica de cores a identificar a dose recomendada diária.
Nestlé vai avançar com "semáforos" nos rótulos
Pedro Catarino/Correio da Manhã
Alexandra Machado 14 de maio de 2018 às 13:21
Vermelho, amarelo e verde. As doses diárias recomendadas dos vários elementos nutricionais vão ter uma sinaléctica de cores para que o consumidor consiga perceber a quantidade, em cada produto, dos vários elementos, como açúcares, gorduras, etc.

O projecto está a ser desenvolvido a nível internacional – estando a ser trabalho com outras multinacionais como a Mondelez, PepsiCo, Coca-Cola e a Unilever – e vai chegar a Portugal sob forma de teste. "Dá informação sobre o conteúdo, mas também em relação à porção", revela Paolo Fagnoni, director-geral da Nestlé Portugal.

Conforme avançou o Dinheiro Vivo, Portugal é o primeiro país a ser informado que avançará com os testes ao novo esquema de semáforos.

A Nestlé está, por outro lado, envolvida no grupo de trabalho que está a trabalhar com o Governo para estabelecer metas de redução de açúcares, sal e gorduras nos produtos comercializados. No caso da Nestlé as conversas decorrem ao nível dos cereais de pequeno-almoço. Para já, explicou Gonçalo Granado, director de de comunicação do grupo, o objectivo é que até ao final do ano esteja definida a metodologia de como se mede e o estabelecimento de metas futuras, com planos a três anos. Haverá, explicou, metas intermédias.

O director-geral da Nestlé Portugal diz, mesmo, que estando estas negociações a decorrer seria "estranho" que se aplicassem novos impostos sobre produtos contendo estes elementos.

"Não sabemos como vai evoluir [a aplicação de novos impostos], mas estamos empenhados em reduzir o sal", assim como o açúcar, explica Paolo Fagnoni, para quem "é importante ser claro". 





Saber mais e Alertas
pub