Indústria Produção industrial na Alemanha contraria estimativas e cai mais de 1% em Dezembro

Produção industrial na Alemanha contraria estimativas e cai mais de 1% em Dezembro

A produção das fábricas alemãs caiu 1,2% em Dezembro face ao mês anterior, quando os economistas consultados pela Bloomberg antecipavam uma subida de 0,5%.
Produção industrial na Alemanha contraria estimativas e cai mais de 1% em Dezembro
Rita Faria 09 de fevereiro de 2016 às 08:50

A produção industrial na Alemanha caiu, inesperadamente, em Dezembro, pelo segundo mês consecutivo, um sinal de que o abrandamento das economias que constituem importantes mercados de exportação está a travar a actividade das empresas, apesar da forte procura interna.

Segundo os dados divulgados esta terça-feira, 9 de Fevereiro, pelo ministério alemão da Economia, a produção industrial, ajustada às variações sazonais e à inflação, desceu 1,2% em Dezembro face ao mês anterior. Este indicador ficou muito aquém das estimativas dos economistas consultados pela Bloomberg, que apontavam para uma subida de 0,5%.

O recuo na produção das fábricas alemãs surge numa altura em que o desemprego em mínimos e os baixos preços do petróleo estão a impulsionar o consumo interno. Contudo, o abrandamento da economia chinesa e outros mercados emergentes está a anular os efeitos positivos do aumento da procura doméstica na actividade da indústria.

"É uma grande surpresa e é uma decepção que a produção não se tenha tornado mais dinâmica no final do ano", refere Christoph Swonke, economista do DZ Bank, em declarações à Bloomberg.

"A produção industrial passou por um período difícil no final de 2015", refere o ministro da Economia, no comunicado. "Mas, dado que a encomendas melhoraram no final do último trimestre, as empresas deverão aumentar a sua produção novamente no início do ano".

 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
}
pub