Media A plataforma online que só anuncia em papel

A plataforma online que só anuncia em papel

O brasileiro Rodrigo Pimenta fundou a Adsyeah e escolheu Braga para se instalar. O objectivo é ajudar pequenos anunciantes a publicitar os seus produtos na imprensa escrita, que o “marketeer” garante ter condições para sobreviver ao mundo digital.
A plataforma online que só anuncia em papel
Paulo Duarte
Alexandra Noronha 11 de setembro de 2016 às 19:30
"A Internet nasceu há 25 anos e há 25 anos que ando a ouvir que estão a acabar os jornais em papel." O brasileiro Rodrigo Pimenta, empresário, "marketeer" e especialista em publicidade, não acredita nestas previsões pessimistas sobre o destino dos meios de comunicação em papel. E a sua fé é tal, que desenvolveu um produto para quem quer anunciar neles, mas não sabe bem como fazê-lo: a plataforma "Adsyeah!", desenvolvida em Braga.

Foi em 2013 que o publicitário, que passou pela gigante MacCann, escolheu a cidade para começar o seu negócio, que tinha "rabiscado" em papéis, tendo em conta as necessidades dos amigos e família, que lhe pediam ajuda para promover os seus produtos.

"Qualquer agência de publicidade quer um anunciante com dinheiro. Mas, por outro lado, há clientes pequenos, que muito dificilmente se juntam com as agências", contou Rodrigo Pimenta. Um cliente pequeno significa menos dinheiro e o mesmo tempo gasto.

A "Adsyeah!" permite a qualquer negócio ou privado elaborar um anúncio no formato correcto para depois enviar a um jornal ou revista. A plataforma ajuda os anunciantes a escolher fotos e tem tutoriais em vídeo e escritos para que quem quer fazer publicidade saiba como e onde é melhor colocar o seu anúncio.

cotacao Fui o meu próprio ‘business angel’. As pessoas diziam que nunca iria dar certo e eu tinha a certeza de que ia conseguir.  Rodrigo Pimenta Publicitário, criador da Adsyeah


Rodrigo Pimenta salientou ao Negócios que a programação e o de-senvolvimento tecnológico por trás da "Adsyeah!" são enormes e que foram sendo realizados ao longo dos últimos seis anos. O sistema funciona na "cloud" e vai sendo actualizado com mais publicações e os seus formatos de publicidade, em todo o mundo.

Rodrigo Pimenta, que já tinha uma empresa do sector da publicidade no Brasil, financiou o seu próprio negócio, em cerca de 450 mil euros e espera recuperar o valor num ano. "Fui o meu próprio ‘business angel’. As pessoas diziam que nunca iria dar certo e eu tinha a certeza de que ia conseguir", salientou o empresário brasileiro.

Neste momento, a plataforma ainda só funciona na sua versão grátis. Mas, em breve, terá pacotes em que os utilizadores podem assinar o serviço para um ano ou dois anos. Actualmente, a plataforma conta com 200 utilizadores por dia, segundo Rodrigo Pimenta.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub