Media Comcast continua na luta e sobe oferta pela Sky para 29,4 mil milhões

Comcast continua na luta e sobe oferta pela Sky para 29,4 mil milhões

A luta pelo controlo da empresa de media britânica conheceu hoje um novo capitulo, com a Comcast a responder a Rupert Murdoch.
Comcast continua na luta e sobe oferta pela Sky para 29,4 mil milhões
Negócios 12 de julho de 2018 às 08:39

A Comcast elevou o preço da oferta pela Sky plc, colocando em cima da mesa dos accionistas uma contrapartida de 14,75 libras por acção, o que avalia a companhia britânica em 26 mil milhões de libras (29,4 mil milhões de euros, ou 34,4 mil milhões de dólares).

 

Esta oferta supera a proposta da Fox de Rupert Murdoch, que esta semana tinha elevado a sua oferta sobre a empresa onde já é accionista para 14 libras por acção.

 

O preço da comcast está agora 5,4% acima da contrapartida da Fox, pelo que as acções da Sky estão a reagir em alta a estes desenvolvimentos, com uma subida de 3,2% para 15,41 libras no arranque da sessão em Londres. Ou seja, os investidores estão já à espera de uma resposta de Murdoch.

 

A batalha pela Sky arrasta-se há meses e trava-se no âmbito de uma "guerra" mais alargada. A Comcast tem disputado com a Walt Disney o controlo da 21st Century Fox, o portefólio de entretenimento da Fox, do qual a Sky é apenas uma pequena parte. Se a operação for concluída com sucesso, a Fox passará a ter o controlo total da Sky, em vez da actual participação de 39%.

Neste contexto, a totalidade do capital da Sky poderá passar em breve para as mãos da Disney. Murdoch, o dono do império Fox, já tinha aceite vender o seu negócio de entretenimento à casa criadora do Rato Mickey.

O Governo britânico deverá pronunciar-se até esta quinta-feira sobre a oferta da Fox sobre a Sky, depois de ter mostrado abertura para aceitar o negócio caso não prejudicasse a pluralidade dos media britânicos. 

A Sky tem levantado o interesse das várias empresas na corrida dado que se trata do líder de tv paga no Reino Unido. Isto, numa altura em que os gigantes ambicionam fazer frente a serviços de streaming como o Netflix.




pub