Media Reestruturação financeira da Controlinveste estará acordada

Reestruturação financeira da Controlinveste estará acordada

O acordo de princípio sobre a reestruturação da dívida da Controlinveste ao BCP e ao BES deverá ser fechado esta terça-feira. O grupo que controla o “Diário de Notícias” passará a ter como maior accionista o empresário angolano António Mosquito, segundo o "Diário Económico".
Reestruturação financeira da Controlinveste estará acordada
Bruno Carvalheiro
Negócios 10 de setembro de 2013 às 08:59

BCP, BES e António Oliveira, o empresário que detém a Controlinveste, terão já acordado os termos da reestruturação das dívidas do grupo de comunicação social à banca, que ficarão consagrados num memorando de entendimento cuja assinatura deverá ter lugar esta terça-feira, 10 de Setembro, noticia o “Diário Económico”.

 

O acordo prevê a entrada do empresário angolano António Mosquito no capital da Controlinveste e, eventualmente, de Luís Montez, adianta o mesmo jornal, esclarecendo que o entendimento com estes investidores será fechado mais tarde. Recorde-se que Mosquito acaba de chegar a acordo com a Soares da Costa para ficar com a maioria do capital da empresa de construção do grupo de Manuel Fino. Também neste caso, a entrada do investidor angolano aconteceu no âmbito de um processo de reestruturação financeira.

 

Além destes novos accionistas, o entendimento prevê ainda que BCP e BES convertam em capital créditos sobre a empresa de Joaquim Oliveira, devendo ficar com uma posição conjunta de 30%. Já o actual accionista de controlo deverá reduzir a sua participação para 25%, ficando o restante capital nas mãos de Mosquito e Montez que, refere o “Diário Económico”, terão de entrar com 15 a 20 milhões de euros de dinheiro fresco.

 

O modelo de reestruturação financeira prevê que a dívida da Controlinveste seja reduzida em mais de 70%, passando de 230 milhões para 64 milhões. No entanto, segundo o jornal, os dois novos investidores pretendem um “perdão” adicional, por forma a que a dívida não supere os 40 milhões.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JgF3 10.09.2013

Luís Montez??!!!
Será que estamos a ficar igual a Angola, ou já somos há muito? A diferença é que lá o presidente faz os negócios através da filha e por cá o ex primeiro ministro e actual presidente sempre os fez através da filha mas em nome do genro!
E o burro sou eu... como diria o outro!

comentários mais recentes
bruno 23.09.2013

extraordinário. a malta cresce de qualquer maneira sem controlo nas despesas, e pelo caminho ainda se distribuem uns dividendos à malta. e no fim da bandalheira pede-se um perdão de divida e já ficámos com 200 milhões no bolso. epá assim também eu sou um grande empresário. começo a adquirir negócios relacionados com o meu a torto e a direito, e a pedir créditos com fartura para crescer que nem um bruto. pago-me uns largos dividendos, e daqui a uns 8 anos peço um perdão de divida e começo-me a portar bem. pelo caminho apareço na Forbes a anunciar uma fortuna e 2 mil milhões de euros (mas a reportagem esquece-se de referir que tenho créditos no valor de 3 mil milhões)

Marketleak 10.09.2013

Banc Sabadell, anuncia aumento de capital ao mesmo tempo que o governo inglês anuncia a saída conveniente do Lloyds TSB Bank, à tempos pude observar o alinhamento destes dois bancos face ao sector financeiro português: vão caçar o BCP, e o que aparecer pelo caminho.
Na mira dos dois bancos está a actividade em Macau, Ilhas Caimão, Angola, Moçambique, Brasil, Polónia, França, Luxemburgo, Estados Unidos, Canada, Turquia, Holanda e Suiça.


Algumas empresas do grupo BCP:
Millennium BCP (PT)
Millennium Ageas (PT)
Ocidental Vida (PT)
Ocidental Seguros (PT)
PensõesGere (PT)
LeaseFactor (PT)
Millennium Investment Bank (PT)
Millennium Asset Management (PT)
BCP Private Bank (PT)
Banco de Investimento Imobiliário (PT)
ActivoBank (PT)
ActivoBank (ES)
Millennium Bank (RO)
Millennium Bank (PL)
Millennium Banque Privée (CH)
Lusobanque (FR)
Banque BCP (FR)
Banque BCP (LU)
Banco de Investimento Internacional (LU)
Millennium SICAV (LU)
Banque BCP (NL)
Banque BCP (BE)
Millennium Macau (MO)
Millennium Angola (AO)
Millennium bim (MZ)
Impar (MZ)
BCP Finance Bank (KY)
BCP Cayman Bank (KY)
Millennium Bank & Trust (KY)
Eurobank (TK)
BCPBank (US)
BCP International (US)
BCPBank (CA)
BCP (BR)

Anónimo 10.09.2013

se fosse alguem que podia pagar as prestaçoes do emprestimo da casa o bcp e o bes passavam logo para os fiadores ou entao para penhoras,mas este gajo que so devia 230 milhoes!!!!!!!!!!!!!!!!perdoaram mais de 70%,muitas familias vao pagar parte desta divida.ladroes!!!!!!!!!!!!!!!

quico_jneg 10.09.2013

o perdão já se sabe....é feito atraves de um paraiso fiscal para as contas privadas dos crédores BES , sendo que o banco nacional encaixa o prejuizo e paga menos imposto por isso ou então o estado terá de o salvar.....Os perdões de divida devem ser fiscalizados pelas entidades reguladoras, pois podem ter muitas implicações.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub