Media Relvas: “Não aumentaremos a publicidade na RTP” pois isso “seria matar outros órgãos de comunicação”

Relvas: “Não aumentaremos a publicidade na RTP” pois isso “seria matar outros órgãos de comunicação”

“Não contem comigo para matar os outros órgãos de comunicação” social, afirmou Miguel Relvas na comissão Parlamentar onde garantiu que não se vai aumentar o período de publicidade permitido à RTP.
Relvas: “Não aumentaremos a publicidade na RTP” pois isso “seria matar outros órgãos de comunicação”
Sara Antunes 29 de Janeiro de 2013 às 12:07

“Não vamos alterar a publicidade. Seria matar os órgãos de comunicação em Portugal. Não aumentaremos a publicidade para a RTP”, sublinhou o ministro que tem em mãos o processo de reestruturação da empresa pública de media.

 

Acualmente a RTP1 tem um limite máximo de seis minutos de publicidade por hora e a RTP2 não tem qualquer publicidade.

 

“A RTP vai viver, e vai viver subindo nas audiências”, salientou, reiterando que será um “um processo difícil e doloroso, mas vai ser inevitável.”

 

O ministro adiantou que “a empresa não será refém das audiências, mas não poderá estar alheia” a esta realidade. “Não existe serviço público sem público.”

 

O ministro considera que a queda das audiências da RTP não está relacionada apenas com uma alteração da empresa que mede este indicador. Miguel Relvas acredita que os operadores  "estão à frente [da RTP] porque iniciaram o processo de reestruturação mais cedo" e, por isso, “estão melhor preparados” do que a empresa pública para enfrentar a realidade.

 

“Os processos de reestruturação têm tido um significado muito real nas empresas privadas de media. Também ao Estado se exige rigor na gestão”, acrescentou.

 

Miguel Relvas reiterou que a “RTP terá de viver com a contribuição audiovisual e a transformação da empresa visa a sustentabilidade da empresa a longo prazo.”

 

“Numa situação económica estável é má gestão atirar com dinheiro para cima dos problemas em vez de os resolver”, mas na situação actual é “incomportável”.




A sua opinião36
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Elvira 29.01.2013

Faz falta um bocado mais de futebol e fado na RTP, além das corridas de toiros, naturalmente. Ah, e o terço às 18.30 - com transmissão direta da capelinha das aparições. Isso sim é serviço público

comentários mais recentes
Anónimo 31.01.2013

Forca minisro relvas . Esta gente que te critica sao todos de gracvata e a xeirar mal dos sovacuuuus1 antena 1, antena 3, radio e /TV Africa, os xamados de jornalistas que as comprem.

Luso Qualquer Coisa 30.01.2013

Palavras para quê?... É um artista português...

Pois, Pois 30.01.2013

“Não contem comigo para matar os outros órgãos de comunicação” Nesta frase está contida toda a negação à livre concorrência e ao mercado livre... à procura da eficiência e da melhoria constante da oferta... isto não é mais do que um regime de protecção ao amigo, ao conhecido ou ao parceiro (que são sempre os mesmos). Este governo é o exemplo perfeito das incoerências e dos defeitos da democracia à portuguesa: Foi eleito por muitos, para benefício de poucos... foi eleito pelo Povo, para benefício do Capital...

maria 30.01.2013

Coitadinha da SIC e da TVI; Aliás, nem estamos num Estado onde existe concorrência... Temos de proteger as empresas dos patrões... Vergonha

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub