Relvas: “Não aumentaremos a publicidade na RTP” pois isso “seria matar outros órgãos de comunicação”
29 Janeiro 2013, 12:07 por Sara Antunes | saraantunes@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
1
“Não contem comigo para matar os outros órgãos de comunicação” social, afirmou Miguel Relvas na comissão Parlamentar onde garantiu que não se vai aumentar o período de publicidade permitido à RTP.

“Não vamos alterar a publicidade. Seria matar os órgãos de comunicação em Portugal. Não aumentaremos a publicidade para a RTP”, sublinhou o ministro que tem em mãos o processo de reestruturação da empresa pública de media.

 

Acualmente a RTP1 tem um limite máximo de seis minutos de publicidade por hora e a RTP2 não tem qualquer publicidade.

 

“A RTP vai viver, e vai viver subindo nas audiências”, salientou, reiterando que será um “um processo difícil e doloroso, mas vai ser inevitável.”

 

O ministro adiantou que “a empresa não será refém das audiências, mas não poderá estar alheia” a esta realidade. “Não existe serviço público sem público.”

 

O ministro considera que a queda das audiências da RTP não está relacionada apenas com uma alteração da empresa que mede este indicador. Miguel Relvas acredita que os operadores  "estão à frente [da RTP] porque iniciaram o processo de reestruturação mais cedo" e, por isso, “estão melhor preparados” do que a empresa pública para enfrentar a realidade.

 

“Os processos de reestruturação têm tido um significado muito real nas empresas privadas de media. Também ao Estado se exige rigor na gestão”, acrescentou.

 

Miguel Relvas reiterou que a “RTP terá de viver com a contribuição audiovisual e a transformação da empresa visa a sustentabilidade da empresa a longo prazo.”

 

“Numa situação económica estável é má gestão atirar com dinheiro para cima dos problemas em vez de os resolver”, mas na situação actual é “incomportável”.

Enviar por email
Reportar erro
1
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: