Start-ups IDEIAhub: Uma start-up que quer formar uma comunidade de talentos

IDEIAhub: Uma start-up que quer formar uma comunidade de talentos

O Instituto para o Desenvolvimento de Empresas, Indivíduos e Ambições (IDEIA) é uma start-up portuguesa que ambiciona ser uma incubadora de talentos. Esta empresa conta com uma equipa de sete pessoas e espera facturar neste primeiro ano 1,2 milhões de euros.
Ana Laranjeiro 15 de abril de 2014 às 14:44

Uma incubadora de talentos. O Instituto para o Desenvolvimento de Empresas, Indivíduos e Ambições – a IDEIAhub – é uma “start-up 100% nacional, com capitais próprios”. A ideia, explicou João Carlos Simões, CEO da empresa na apresentação esta terça-feira, surgiu há mais de um ano e o objectivo é permitir a valorização do capital humano de cada pessoa.

 

A IDEIAhub tem um espaço físico, localizado em Lisboa, e vai dispor, dentro de alguns dias, de uma plataforma online. “O nosso objectivo é criar uma comunidade online para que as pessoas possam interagir, partilhar experiências e conhecimentos. Enriquecer o seu próprio conhecimento através de diversas acções de formação que também temos disponíveis, embora a nossa ambição é a personalização através de planos de desenvolvimento pessoal”, explicou o responsável da empresa na conferência de imprensa.

 

O processo passa por um diagnóstico de competências realizado através de uma espécie de teste e um relatório é produzido de seguida com base nesse mesmo teste. Posteriormente, os interessados têm cinco níveis de adesão. “Basicamente temos uma comunidade com cinco níveis de adesão” sendo que o nível “vai depender da ambição de cada pessoa. No caso do nível alfa, que é o de entrada, e que vai ter o valor no mercado de 9,99 euros, incluiu dois cursos mensais de uma hora nas áreas de 'soft skills', incluiu uma sessão com um 'learning consultant'”, explicou João Carlos Simões.

 

Além da comunidade, a empresa dispõe de instalações que permitem a partilha de espaço de escritório e pode servir como incubadora de start-ups.

 

“Em termos de negócio, as projecções que temos feitas até ao final de 2014 [apontam para] uma facturação prevista de 1,2 milhões de euros. Acreditamos que, em velocidade cruzeiro e com a actual máquina, em 2015, poderemos chegar perto dos três milhões de euros de facturação”, assinalou o CEO. O investimento inicial rondou os 350 mil euros.

 

A empresa conta com três parceiros internacionais: a Microsoft, a Skillsoft e a Talento. A Skillsoft é uma empresa ligada a conteúdos de e-learning e a Talento é “um parceiro para a parte do diagnostico de competências”.




pub