Start-ups Web Summit traz representantes da ONU e OMC a Lisboa

Web Summit traz representantes da ONU e OMC a Lisboa

A dois meses do arranque da primeira edição do Web Summit em Lisboa, organização e Governo garantem que os preparativos estão a correr bem. Web Summit lança em Lisboa evento que reúne elite política internacional e vanguarda tecnológica.
Web Summit traz representantes da ONU e OMC a Lisboa
Bruno Simão
Ana Laranjeiro 07 de setembro de 2016 às 20:30
A primeira edição do Web Summit em Lisboa decorre de 8 a 10 de Novembro. A dois meses do evento, organização e Governo garantem que a preparação está a correr como previsto.

"Tudo está a decorrer de acordo com o planeado. A nossa equipa está ocupada a preparar todos os detalhes importantes para assegurar que os nossos participantes têm uma experiência incrível nesta conferência", diz ao Negócios Paddy Cosgrave, CEO da Web Summit, em declarações por escrito.

O líder deste evento que nasceu na Irlanda há seis anos assinala ainda: "este ano, estamos entusiasmados por realizar aquilo que chamamos Lisbon Global Fórum no coração do Web Summit. O Fórum vai dar espaço dentro do Web Summit para que 250 dos nossos principais participantes e oradores possam trocar pontos de vista, [estabelecer] redes e debater soluções para o nosso cada vez mais incerto futuro".

"Pela primeira vez no Web Summit, estamos a juntar o presidente da assembleia geral da ONU [Peter Thomson], o director-geral da Organização Mundial do Comércio [Roberto Azevêdo], primeiros-ministros com visão de futuro, ministros e presidentes de câmara de todo o mundo, bem como muitos dos principais reguladores e decisores políticos da União Europeia. Eles estão interessados em encontrar-se com os que estão na vanguarda da tecnologia", acrescentou.

Do lado português, João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria, aponta que os desafios "são enormes" em áreas diversas "como a logística, os transportes, os vistos para estrangeiros de mais de 150 países, a segurança, o entretenimento, o alojamento".

Mas o que é que falta? "Uma das coisas que ainda falta fazer é seleccionar as 66 start-ups que vão representar Portugal no Web Summit. Iremos fazê-lo no próximo dia 21, no âmbito do concurso Road 2 Web Summit, em Lisboa. Depois falta ainda formar e preparar essas empresas para nos representarem ao mais alto nível e falta divulgar mais e melhor como o País pode tirar partido e aproveitar ao máximo, não só o Web Summit, mas os mais de 100 eventos paralelos que irão cá decorrer em Novembro", salienta o governante ao Negócios, por escrito.



pub