Tecnologias Amazon pode levar Jeff Bezos a fintar Bill Gates nos mais ricos do mundo

Amazon pode levar Jeff Bezos a fintar Bill Gates nos mais ricos do mundo

A gigante do comércio online vai apresentar os seus resultados esta noite e as expectativas do mercado estão a impulsionar os títulos. Uma das pessoas que está a beneficiar desse movimento é o fundador e CEO da empresa.
Amazon pode levar Jeff Bezos a fintar Bill Gates nos mais ricos do mundo
Ana Laranjeiro 27 de julho de 2017 às 15:43

Esta noite, após o encerramento de Wall Street, a Amazon vai apresentar os seus números relativos ao trimestre que terminou em Junho. A Bloomberg, com base numa estimativa realizada entre 34 analistas, antecipa que a empresa tenha registado receitas de 37,2 mil milhões de dólares no trimestre, mais 22% que de Abril a Junho de 2016. Os lucros por acção ascendem a 1,42 dólares.

Os investidores estão animados quanto às perspectivas para o resultado da gigante do comércio electrónico e as acções estão a subir. Uma das pessoas que está a beneficiar com este movimento é o fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos. É que os ganhos da Amazon podem mesmo levar Bezos a ultrapassar Bill Gates e ficar como a pessoa mais rica do mundo, de acordo com a Bloomberg.


As acções da Amazon arrancaram a sessão a subirem 1,59% para 1.069,55 dólares – por esta altura, valorizam 1,61% para 1.069,709 dólares, tendo já tocado hoje nos 1.074,75 dólares. Se a empresa terminar a sessão com um ganho próximo do da abertura, Bezos, que tem uma participação de 17% na empresa, pode ultrapassar Gates no Bloomberg Billionaires Index. Gates "reina" como o mais rico desde Maio de 2013.

Quanto aos resultados da gigante do comércio electrónico, os investidores e analistas vão tomar atenção nomeadamente às novas subscrições que o serviço Amazon Prime (que disponibiliza serviços como streaming de música e vídeo), de acordo com a mesma fonte. Outro ponto a que o mercado vai prestar atenção é à unidade de computação na cloud, a Amazon Web Services. De acordo com a Bloomberg, a Amazon detém a liderança no sector da computação na cloud, mas a Microsoft e Google têm vindo a fazer uma maior concorrência à Amazon.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub