Tecnologias Amazon vai criar 5000 postos de trabalho a partir de casa

Amazon vai criar 5000 postos de trabalho a partir de casa

A gigante do comércio electrónico anunciou que tem planos para criar cinco mil postos de trabalho, em part-time, para pessoas que queiram trabalhar a partir de casa. As vagas que vão abrir são para o serviço de apoia aos clientes virtual.
Amazon vai criar 5000 postos de trabalho a partir de casa
Ana Laranjeiro 13 de abril de 2017 às 15:42

A Amazon anunciou há dias que planeia criar mais de cinco mil postos de trabalho em part-time no próximo ano. E estes empregos têm uma particularidade. É que são para quem quer trabalhar à distância, o que significa que pode trabalhar a partir de casa. De acordo com o comunicado emitido pela empresa a 6 de Abril, as cerca de cinco mil vagas são para a área de atendimento ao cliente virtual (Virtual Customer Service) que dá "aos funcionários flexibilidade para trabalhar a partir de casa" como uma pessoa que faz atendimento ao cliente.

"Além dos salários competitivos, os empregados localizados virtualmente que trabalham 20 horas ou mais por semana recebem benefícios, incluindo o programa inovador Career Choice".

A contratação destas cinco mil pessoas no próximo ano insere-se no plano da gigante do comércio electrónico para recrutar 30 mil pessoas em part-time em 2018. E nos próximos 18 meses, a Amazon, fundada por Jeff Bezos, pretende ampliar a sua força, criando cem mil postos de trabalho a tempo inteiro, de acordo com o comunicado.

Tom Weiland, vice-presidente da Amazon com o pelouro do atendimento aos clientes ao nível mundial, sustenta, em comunicado, "que há muitas pessoas que querem ou precisam de um emprego flexível – quer sejam o cônjuge de um militar, um estudante universitário ou pais – e estamos estamos felizes por capacitar estas pessoas talentosas independentemente de onde vivem".

"Estamos a perceber que os cargos [na área de] atendimento ao cliente virtual são especialmente atractivos para os cônjuges de militares que querem continuar a trabalhar e são pais, mesmo que os seus cônjuges estejam destacados ou que a sua família seja transferida, como frequentemente acontece com as famílias de militares", acrescentou. Militares veteranos também estão entre os profissionais que desempenham funções no atendimento ao cliente virtual.

Amazon e a inteligência artificial

A gigante do comércio electrónico está a apostar na inteligência artificial para entregar bens de forma mais rápida, melhorando a assistente Alexa e criando novas ferramentas, de acordo com a carta anual enviada por Jeff Bezos aos accionistas da Amazon, citada pela Bloomberg.

O fundador e CEO da empresa de e-commerce, nessa missiva, repetiu alguns temas comuns, como é o caso da necessidade de manter uma mentalidade de start-up e ter a capacidade para actuar rapidamente apesar de terem informações limitadas. Bezos enfatizou ainda, reporta a agência de informação, que a área de inteligência artificial e de machine learning são os sectores em que a empresa vai continuar a investir.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Johnny 13.04.2017

Tenho orgulho em afirmar que NUNCA comprei nada na amazon
esses barões da globalização mundial nunca mamaram um cêntimo meu

comentários mais recentes
mamacita 27.04.2017

Gostaria de ter acesso ao link para efectuar candidatura. Obrigada

Paulo 15.04.2017

Vai ser contrato para Brasileiros tambem??
sefor quero o link para cadastro;Abrço

Johnny 13.04.2017

Tenho orgulho em afirmar que NUNCA comprei nada na amazon
esses barões da globalização mundial nunca mamaram um cêntimo meu

pub
pub
pub
pub