Tecnologias Computadores e telemóveis à mercê de ataques informáticos devido a falhas de segurança

Computadores e telemóveis à mercê de ataques informáticos devido a falhas de segurança

Uma equipa de investigadores revelou que os chips fabricados pela Intel, ADM e ARD têm falhas de segurança que podem ser exploradas pelos hackers. As empresas já estão a desenvolver soluções para resolver as duas falhas identificadas.
Computadores e telemóveis à mercê de ataques informáticos devido a falhas de segurança
Reuters
André Cabrita-Mendes 04 de janeiro de 2018 às 10:09
Os telemóveis e computadores que contêm chips da Intel, Advanced Micro Devices (ADM) e ARM Holdings têm falhas de segurança e estão vulneráveis a ataques informáticos.

A informação está a ser avançada pela agência Reuters esta quinta-feira, 4 de Janeiro, que aponta que vários investigadores nesta área revelaram que estas falhas podem levar os piratas informáticos a roubar informação destes aparelhos.

A revelação foi feita por investigadores do Project Zero da Google, assim como investigadores académicos e de empresas de vários países.

Uma das falhas tem o nome de "Meltdown" e afecta os chips da Intel. Esta falha permite aos piratas informáticos ler a informação guardada num computador incluindo as suas passwords. A segunda falha tem o nome de "Spectre" e afecta os chips da Intel, AMD e ARM e possibilita aos piratas informáticos terem acesso a aplicações que lhes forneça informação.

A Intel garante que já tinha sido avisada destas falhas pelos investigadores há algum tempo e que a empresa tem estado a testar soluções que serão disponibilizadas às empresas que usam os seus chips na próxima semana.

Os investigadores apontaram que tanto a Apple como a Microsoft já tem soluções prontas para os seus computadores desktop.

"Não recebemos nenhuma informação a indicar que essas vulnerabilidades tinham sido usadas para atacar os nossos clientes", disse a Microsoft em comunicado.

A Apple, por seu turno, não respondeu às perguntas da Reuters e neste momento não é claro se o sistema operativo Ios, que equipa os Iphones e Ipads, é vulnerável a estas falhas.

Um dos investigadores que descobriu a falha "Meltdown" disse que "esta era um dos piores bugs alguma vez encontrados", afirmou Daniel Gruss à Reuters. Apesar de ser uma falha grave, o investigador apontou que a mesma pode ser resolvida.

Já a falha "Spectre", apesar de ser mais difícil de ser atacada pelos hackers, é também mais difícil de ser remendada e pode vir a causar mais problemas no longo prazo.

As falhas foram primeiro avançadas pelo site The Register que apontava que as actualizações para resolver os problemas provocam uma redução de até 30% na velocidade dos chips da Intel.  Contudo, a empresa já veio negar que as actualizações provoquem abrandamentos na performance dos chips.

Já a ARM disse que as actualizações já tinham sido partilhadas com empresas parceiras, como fabricantes de telemóveis. Enquanto a AMD disse acreditar que o risco de ataque aos seus produtos é "próximo de zero".

O perito em segurança Dan Guido aconselhou as empresas a actualizarem rapidamente os seus sistemas, apontando que os hackers deverão estar a desenvolver códigos para lançarem ataques com o objectivo de explorarem estas vulnerabilidades.



A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 04.01.2018

ADM e ARD não existem no contexto desta notícia e só revelam uma enorme e lamentável confusão jornalística por parte de quem a escreveu. AMD (empresa dos EUA de desenvolvimento e produção fabless, em outsourcing, de processadores centrais - CPU e processadores gráficos - GPU ) e ARM (empresa inglesa de processadores, detida a 100% pela empresa japonesa Softbank Group, 75% de forma directa e 25% indirectamente através do Vision Fund da Softbank).

comentários mais recentes
Anónimo 04.01.2018

ADM e ARD??
...uiiii...é o que resulta escrever do que não se percebe.
O Negócios não é jornal de vão de escada. Deviam ter mais cuidado na verificação e corrigir rapidamente os erros.

Anónimo 04.01.2018

Tem razão o camarada informático mas esta é a politica de caça votos. Não é por acaso que os nossos jovens preferem pagar a taxa aeroportuária e "fugirem".

Anónimo 04.01.2018

ADM e ARD não existem no contexto desta notícia e só revelam uma enorme e lamentável confusão jornalística por parte de quem a escreveu. AMD (empresa dos EUA de desenvolvimento e produção fabless, em outsourcing, de processadores centrais - CPU e processadores gráficos - GPU ) e ARM (empresa inglesa de processadores, detida a 100% pela empresa japonesa Softbank Group, 75% de forma directa e 25% indirectamente através do Vision Fund da Softbank).

tec informatica ha mais de 20 anos s/subir categor 04.01.2018

em portugal ate os ciganos e pessoal bairros sociais com casa a custa dos meus impostos, t~em computadores, tabletes de chocolate e telemoveis ultimo grito, cambada de xulecos

ver mais comentários
pub