Tecnologias E se a Apple fosse um país?

E se a Apple fosse um país?

Se a Apple fosse um país, seria a Bélgica em receitas anuais, a Colômbia em nível de dívida ou a República Democrática do Congo em utilização de energia renovável.
Carla Pedro 02 de agosto de 2018 às 19:25

A Apple, que atingiu um valor de mercado de um bilião de dólares, tem números tão gigantescos que poderia, em muitas rubricas, ser um país. E se fosse?

 

Segundo os dados recolhidos pela Bloomberg junto da CIA, Banco Mundial, família real dinamarquesa, Credit Suisse e relatórios e contas de empresas, se a Apple fosse um país, seria a República Democrática do Congo em utilização de energia renovável – e também a primeira a nível mundial, uma vez que faz uso a 100% das energias verdes.

 

Se avaliarmos a valorização acumulada da Apple em 2017, esta  equivale ao ritmo de crescimento do PIB das Ilhas Marianas do Norte [situadas a sul do Japão, são um Estado livremente associado aos EUA no Oceano Pacífico] – que, com 34%, estão na segunda posição a nível mundial.

 

Já se nos debruçarmos sobre o salário dos chefes de Estado, a remuneração (salário e bónus) do CEO Tim Cook, no valor anual de 12,8 milhões de dólares, equivale ao que recebe o primeiro-ministro dinamarquês, Lars Løkke Rasmussen (segundo maior valor a nível mundial, apenas superado pelo presidente da República Checa).

 

Quanto às receitas anuais da tecnológica, que ascenderam em 2017 a 247 mil milhões de dólares, estas correspondem às receitas anuais do governo da Bélgica (18ª posição no ranking mundial desta categoria).

 

A Apple, que viu nascer o dia na garagem do seu co-fundador Steve Jobs em 1976 [com a ajuda do seu amigo Steve Wozniak], já elevou as suas receitas para valores acima do PIB de Portugal, da Nova Zelândia e de outros países, destaca por seu lado a Reuters.

 

Já a riqueza nacional (soma do valor dos activos da nação, menos os passivos) da Grécia, no valor de um bilião de dólares – o que a coloca em 31.º lugar a nível mundial –, equivale à capitalização bolsista atingida hoje pela Apple, de acordo com os dados compilados pela Bloomberg.

 

A dívida da Apple, por seu lado, é de 122 mil milhões de dólares, o que a coloca no mesmo patamar que a dívida externa da Colômbia.

 

No que diz respeito à produção de electricidade, que na empresa de Palo Alto ascende a 626 megawatts, esta corresponde ao que El Salvador produz.

 

O número de trabalhadores da cotada liderada por Tim Cook, que ronda os 123.000, equipara-se ao número de trabalhadores activos na Polinésia francesa.

 

Por último, se analisarmos a proporção de mulheres que trabalham na Apple face ao número de homens, esta é de 32% - o mesmo acontecendo com a percentagem de mulheres que fazem parte da população activa em Omã.




pub