Tecnologias EUA acusam dois agentes secretos russos de ataque à Yahoo

EUA acusam dois agentes secretos russos de ataque à Yahoo

As autoridades norte-americanas acusaram quatro pessoas pelo papel que tiveram na conspiração que levou ao ataque cibernético à Yahoo, em 2014. Três são cidadãos russos e dois deles agentes dos serviços secretos, de acordo com o The New York Times.
EUA acusam dois agentes secretos russos de ataque à Yahoo
Bloomberg
Ana Laranjeiro 15 de março de 2017 às 18:09

Quatro pessoas foram, esta quarta-feira, 15 de Março, acusadas pelo ministério público federal dos Estados Unidos devido ao papel que desempenharam na conspiração que levou ao roubo de 500 milhões de contas da Yahoo, em 2014. Este furto foi comunicado ao mercado quando a Verizon, maior operadora norte-americana, e a Yahoo estavam em negociações para a compra desta última empresa. A operação prosseguiu, mas a Verizon "vai ter um desconto" de 350 milhões de dólares face ao valor inicialmente acordado.

Três dessas pessoas são cidadãos russos e dois deles são mesmo agentes dos Serviços Federais da Rússia (FSB na sigla original), de acordo com o The New York Times. Dmitry Aleksandrovich Dokuchaev, de 33 anos, é cidadão e residente na Rússia e agente do FSB. Igor Anatolyevich Sushchin, de 43 anos de idade, também ele cidadão e residente na Rússia, é o segundo elemento do FSB que foi acusado pelas autoridades norte-americanas. Os outros dois arguidos são: Alexsey Alexseyevich Belan, de 29 anos, cidadão e residente na Rússia, e Karim Baratov, de 22 anos, com nacionalidade canadiana e cazaque e residente no Canadá.

Estas quatro pessoas, de acordo com a mesma fonte que cita um comunicado do Departamento de Justiça, enfrentam, em conjunto, um total de 47 acusações criminais, que incluem conspiração, fraude informática, espionagem económica e fruto agravado de identidade.

"A conduta criminosa em questão, levada a cabo e de outro modo facilitada por oficiais de uma unidade do FSB que serve de ponto de contacto do FBI em Moscovo em matérias de crimes cibernéticos, é inaceitável", refere a procuradora-geral adjunta em exercício, Mary B. McCord, em comunicado citado pelo jornal norte-americano.


Yahoo sofre ataque de hackers


A 22 de Setembro do ano passado, a Yahoo confirmou que foi alvo de um ataque de hackers, realizado em 2014. Com este ataque foram roubados dados pessoais de cerca de 500 milhões de utilizadores da companhia.

A Yahoo, defendia já em Setembro, que este ataque informático teria sido patrocinado por uma entidade estatal, que, segundo a investigação entretanto conduzida, já não terá acesso à rede da companhia.


A notícia que a Verizon, maior operadora móvel norte-americana, ia comprar os activos da internet da Yahoo por 4,83 mil milhões de dólares, surgiu em Julho último. Ou seja, antes desta operação estar concluída. Por isso, em Fevereiro, a Verizon, o maior operador móvel dos Estados Unidos, chegou a acordo para conseguir reduzir o preço de compra da Yahoo. Segundo avançava a Reuters na altura, a Verizon chegou a acordo para pagar pelo negócio de internet da Yahoo 4,48 mil milhões de dólares, menos 350 milhões de dólares que o valor acertado inicialmente.

Em Fevereiro, as companhias, apontavam o segundo trimestre para a conclusão do negócio.


Entretanto, esta semana foi revelado que Marissa Mayer, que deverá deixar de ser CEO da empresa que restará após a venda dos activos da internet da Yahoo, pode receber 23 milhões de dólares quando a operação estiver concluída. O pagamento desta indemnização está condicionado à venda da Yahoo e à saída de Marissa Mayer da empresa sem justa causa. A gestora receberá 3 milhões em dinheiro e os restantes 20 milhões em acções.


A este pagamento, que a ainda CEO da Yahoo pode receber, vem somar-se aos mais de 150 milhões de dólares (mais de 140 milhões de euros no câmbio actual) que Mayer tem vindo a receber em salários e prémios em acções desde que se juntou à empresa em 2012.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
dioleao 15.03.2017

Quando o N Y Times fala e' sempre os russos mas desta vez dizem que isto foi
deliberado para baixar o valor da venda e que CO uma lady vai levar 25 milhoes
mas quem acompanha as noticias do states, o presidente so' diz: facke news
como se aceita informations like That???????

pub
pub
pub
pub