Tecnologias Google altera regras para comprar anúncios políticos

Google altera regras para comprar anúncios políticos

O Google está a exigir àqueles que coloquem anúncios políticos durante as próximas eleições dos EUA a prova de nacionalidade americana ou de que sejam cidadãos permanentes.
Google altera regras para comprar anúncios políticos
Reuters
Raquel Murgeira 07 de maio de 2018 às 17:58

O Google anunciou esta segunda-feira, 7 de Maio, a alteração das regras para a publicidade durante campanhas eleitorais. O gigante da tecnologia exige que aqueles que queiram fazer publicidade eleitoral durante as próximas eleições americanas devem provar que são cidadãos dos EUA ou residentes permanentes, segundo adianta a BBC News.

Além disto quem anuncia deve também revelar a origem do dinheiro do anúncio. Esta alteração faz parte de uma actualização das políticas do Google para tentar tornar os anúncios políticos mais "transparentes", de acordo com a BBC News.

"Os anúncios vão ter que fornecer uma identificação emitida pelo governo e outras informações importantes", afirma Kent Walker, vice presidente do Google, citado na BBC News.

Outras empresas do sector tecnológico actualizaram também as suas políticas na sequência de revelações de que algumas plataformas de anúncios foram intencionalmente mal usadas pela Rússia.

Esta nova política do Google segue igualmente mudanças no Facebook e no Twitter sobre a gestão de quem pode comprar espaço para a publicidade política.

Inicialmente este controlo nos anúncios políticos vai ser aplicado apenas nos EUA mas o Google quer estender a medida. O gigante da tecnologia vai ainda divulgar um relatório já este verão que diz respeito à publicidade eleitoral com o intuito de ser conhecido quem comprou anúncios e por que quantia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub