Tecnologias Google venceu acção judicial em que a França exigia 1,1 mil milhões de euros

Google venceu acção judicial em que a França exigia 1,1 mil milhões de euros

A Google venceu uma acção judicial interposta pelas autoridades francesas em que a França pedia à tecnológica americana o pagamento de impostos no valor de 1,12 mil milhões de euros.
Google venceu acção judicial em que a França exigia 1,1 mil milhões de euros
Reuters
Negócios 13 de julho de 2017 às 11:47

Depois de há poucos dias a Google ter sido alvo da mais pesada multa (2,42 mil milhões de euros por abuso de posição dominante) alguma vez aplicada pela União Europeia, a gigante tecnológica americana venceu na passada quarta-feira uma acção judicial em que a França exigia o pagamento de 1,12 mil milhões de euros.

 

As autoridades francesas alegam que, entre 2005 e 2010, a Google direccionou ilegalmente as vendas realizadas em França para a Irlanda por forma a evitar o pagamento do imposto aplicado às empresas em território gaulês, que é mais elevado.

 

O tribunal francês em causa considerou que a subsidiária irlandesa da Google, que é responsável pelas operações da empresa em território europeu, não pode ser sujeita ao pagamento dos impostos aplicados em França.

 

Apesar de esta decisão judicial ser ainda passível de recurso, a mesma não deixa de ser um golpe para o Fisco francês. Em Fevereiro, recorda o Financial Times, a Google chegou a acordo com as autoridades do Reino Unido para o pagamento de impostos não cobrados não valor de 130 milhões de libras. Em reacção a este acordo, o então ministro francês das Finanças, Michel Sapin, propôs-se a garantir um pagamento "bem maior" da parte da Google. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub