Tecnologias GoPro corta 20% da força de trabalho e põe ponto final no negócio dos drones

GoPro corta 20% da força de trabalho e põe ponto final no negócio dos drones

Os dados relativos ao quarto trimestre ficam aquém das estimativas iniciais e, por isso, a GoPro anunciou que vai reduzir em 20% a sua força de trabalho e vai abandonar o negócio dos drones.
GoPro corta 20% da força de trabalho e põe ponto final no negócio dos drones
Ana Laranjeiro 08 de janeiro de 2018 às 16:40

Os resultados do quarto trimestre ficaram aquém do esperado e a GoPro, empresa que comercializa nomeadamente câmaras de filmar, decidiu tomar medidas: vai reduzir a sua força de trabalho em abandonar o negócio dos drones.

A empresa, citada pela Bloomberg, avançou que prevê que as vendas tenham atingido os 340 milhões de dólares no quarto trimestre, um valor consideravelmente abaixo da estimativa anterior: 480 milhões de dólares em vendas. A estimativa dos analistas consultados pela agência, apontavam que as vendas teriam ascendido aos 472 milhões de dólares.

De acordo com GoPro, as vendas sofreram um impacto de cerca de 80 milhões de dólares durante a época festiva devido aos descontos efectuados nos drones Karma e nas câmaras da linha Hero. 

No segmento das câmaras, a GoPro tem enfrentado a crescente concorrência das gigantes tecnológicas – como a Samsung e Google – que começaram a apostar igualmente neste mercado.

O negócio dos drones Karma foi lançado em Setembro de 2016 com o objectivo de ajudar a dar a volta ao negócio da GoPro. Mas a verdade é que acabou por não ter este efeito. A empresa teve de lidar com vários problemas com estes drones, desde questões ao nível da produção, passando pela recolha de cerca de 2.500 unidades devido a problemas com as baterias.

Segundo a empresa, as baixas margens e o mercado regulatório hostil na Europa e nos Estados Unidos fazem com que o mercado dos drones seja "insustentável". A GoPro pretende abandonar o mercado destes dispositivos, de acordo com a Bloomberg, depois de vender o inventário que ainda tem.

Outra das consequências dos resultados aquém do esperado é redução da força laboral. A GoPro pretende cortar mais de 250 empregos, ficando com uma força de trabalho de 1.000 funcionários.

Estas notícias estão a penalizar fortemente as acções no mercado norte-americano. Os títulos da GoPro descem actualmente 22,54% para 5,8253 dólares, tendo já tombado 32,98% para 5,04 dólares.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Ciifrão 08.01.2018

A GoPro vende umas câmaras de porcaria pelo preço de coisa boa, tudo muito bem embrulhado em marketing. Quando os pacóvios deixarem de comprar vão ter de fechar o negócio, quem entende de câmaras compra outra coisa ou o mesmo mais barato.