Tecnologias Herdeiro da Samsung preso devido a acusação de suborno

Herdeiro da Samsung preso devido a acusação de suborno

Jay Y. Lee, herdeiro do grupo Samsung, foi preso na Coreia do Sul. Em causa estão acusações de suborno, perjúrio e peculato.
Herdeiro da Samsung preso devido a acusação de suborno
Reuters
Negócios com Bloomberg 17 de fevereiro de 2017 às 08:14

Jay Y. Lee, vice-chairman da Samsung, foi preso pelas autoridades sul-coreanas sob a acusação de suborno, perjúrio e peculato, de acordo com a Bloomberg. Este passo das autoridades da Coreia do Sul compromete a ascensão de Jay Y. Lee à liderança da Samsung.


O Tribunal Distrital Central de Seul emitiu um mandato de detenção ao início desta sexta-feira, noite em Lisboa, em nome do vice-chairman da tecnológica e neto do fundador. A decisão de deter Lee ocorreu devido aos riscos de que ele pudesse destruir provas ou fugir do país, de acordo com um porta-voz do tribunal citado pela Bloomberg.

A investigação está, por esta a altura, a debruçar-se sobre se Lee esteve envolvido na atribuição de 43 mil milhões de won, cerca de 35 milhões de euros, à amiga da presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye. A investigação quer perceber se ele de facto deu esse dinheiro a troco do apoio do Governo na sucessão da Samsung. A tecnológica foi fundada pelo avô de Lee e os procuradores alegam que o vice-chairman financiou associados da presidente à medida que tentava consolidar o seu poder no conglomerado empresarial.

Pode demorar até 18 meses, incluindo o período de tempo que demoraram as diligências processuais e os recursos, até que haja um julgamento e um veredicto, de acordo com a agência de informação.

Apesar destas notícias as acções da Samsung não sofrerem uma queda muito acentuada. Por esta altura, descem 0,42% para 1.893,000 won. Durante a sessão recuaram 1,95% para 1.864,000 won.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Tony 17.02.2017

Pois!!... Explicação das baterias expudirem,
Vem da corrupção e má qualidade, tal
Como a VW e muitos outros grupos.
Quando estas impresas expendense o resultado final é sempre monopólio e corrupção.

pub
pub
pub
pub