Tecnologias Lucros da Alibaba desiludem mas receitas superam projecções

Lucros da Alibaba desiludem mas receitas superam projecções

A plataforma chinesa de comércio electrónico viu as suas receitas crescer 60% no primeiro trimestre, um período em que os lucros foram penalizados pela maior factura de impostos.
Lucros da Alibaba desiludem mas receitas superam projecções
Reuters
Negócios 18 de maio de 2017 às 13:18
A plataforma de comércio electrónico Alibaba fechou o primeiro trimestre deste ano com lucros de 10,65 mil milhões de yuan (cerca de 1,39 mil milhões de euros), ou 4,35 yuan por acção.

Apesar de o resultado líquido ter praticamente duplicado face ao mesmo trimestre do ano anterior, o valor ficou abaixo do esperado pelos analistas, que apontavam para 4,51 yuan por acção. Segundo a Bloomberg, os lucros foram penalizados pela maior factura de impostos.

Pelo contrário, as receitas excederam as projecções, num período marcado pelo forte crescimento do comércio electrónico na China. Segundo os dados anunciados esta quinta-feira, a empresa liderada por Jack Ma (na foto) viu as suas receitas crescer 60% para 38,58 mil milhões de yuan (cerca de 5,04 mil milhões de euros), acima das estimativas dos analistas que antecipavam um total de 36 mil milhões de yuan.

A gigante chinesa anunciou ainda um programa de recompra de acções de dois anos, que poderá totalizar até 6 mil milhões de dólares.

Os lucros abaixo do esperado estão a levar as acções da Alibaba a cair 2,66% para 120,72 dólares no "pre-market".

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub