Tecnologias Na Plataforma da Alibaba já se vendem Boeing 747

Na Plataforma da Alibaba já se vendem Boeing 747

É possível comprar praticamente qualquer coisa no Taobao, a maior plataforma de comércio electrónico da China. Até mesmo um Jumbo.
Na Plataforma da Alibaba já se vendem Boeing 747
Bloomberg 25 de novembro de 2017 às 12:00

Enquanto a maioria dos consumidores chineses utiliza a aplicação da Alibaba para compras de supermercado, roupas e outros artigos de pequeno valor, na terça-feira a SF Airlines levou as compras no Taobao para outro nível.

 

A companhia aérea chinesa ofereceu mais de 320 milhões de yuans (48 milhões de dólares) por dois aviões de carga Boeing 747, segundo a agência de notícias Xinhua, que citou o nome do vendedor: o Tribunal Intermediário Popular da cidade de Shenzhen. Um terceiro avião não pôde ser vendido.

 

"Os leilões online são uma boa forma de lidar com os activos das empresas falidas", disse Long Guangwei, vice-presidente do tribunal, à Xinhua. Os aviões eram da Jade Cargo International, mostra o anúncio na Taobao.

  

A plataforma de leilões judiciais da Taobao oferece uma série de activos de cidades de toda a China, como imóveis, equipamentos industriais e veículos - em variados estados de conservação - para licitação. A Taobao, cujo nome significa algo como "cavando um tesouro", também leiloa empréstimos de liquidação duvidosa de empresas chinesas.

 

A Alibaba domina o comércio electrónico na China. O Taobao e as várias plataformas de compras da empresa representaram mais de 75% das vendas do retalho online em 2015.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar