Tecnologias Novabase: em Portugal "trabalho ainda não é devidamente recompensado"

Novabase: em Portugal "trabalho ainda não é devidamente recompensado"

Os salários ainda são baixos em Portugal, admite Luís Paulo Salvado, presidente da Novabase, em entrevista ao Negócios e Antena 1.
A carregar o vídeo ...
Portugal é um bom país para se viver, mas não para se trabalhar. Para Luís Paulo Salvado, presidente da Novabase, "o trabalho ainda não é devidamente recompensado". Os salários são baixos e a carga fiscal é excessiva, sobretudo nos níveis iniciais e intermédios.

Além disso, acredita o mesmo responsável, a cultura de mérito ainda tem um caminho grande a percorrer no país.

Luís Paulo Salvado, presidente da Novabase, em entrevista ao Negócios e Antena 1, sustenta que não vê necessidade de se mexer na legislação laboral, mas é preciso repensar no futuro o modelo por causa das novas tendências de emprego e as características da nova geração.

A entrevista ao presidente da Novabase é transmitida na Antena 1 no domingo, e o Negócios publica-a na edição de segunda-feira.



A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Telmo 04.03.2018

Algumas empresas estão a deslocar-se para cidades médias com Universidade ou Institutos onde os trabalhadores ainda arranjam um apartamento por 200 euros e poderão pelo menos viver.

Anónimo 04.03.2018

é por isso, como eu, somos aos milhares a servirem entre aspas os interesses das empresas francesas, alemas, holandesas, suiças, na nossa area (técnologica / IT), os salarios sendo muitos superiores a que esses empresarios não conseguem ou sobretudo não querem oferecer aos seus colaboradores ...

Anónimo 04.03.2018

50% das familias não ganham que chegue para pagar IRS. As outras 50% são esmifradas por impostos para pagar um Estado com serviços de baixa qualidade e os juros de uma dívida irresponsável. É este o Portugal que a elite da geração dos actuais 60/70 anos construiu nos ultimos 30 anos

General Ciresp 04.03.2018

Pois e lps,portugal foi1vez o dedo de meter no cu da galinha,o gana(po)hostil d.branca quis fazer crer q portugal e hoje o dedo de irritar o inimigo quando a ele o dirigimos,infeliz/ja nao somos nem1nem outro.Contas 1/2 verdade:o salario publico distancia-se cada vez mais do privado os imostos nao.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub