Tecnologias O telemóvel de 1.000 dólares que comprou… na verdade, é barato

O telemóvel de 1.000 dólares que comprou… na verdade, é barato

Ajustando à inflação, um telemóvel de 1984 teria custado quase 10.000 dólares na altura.
O telemóvel de 1.000 dólares que comprou… na verdade, é barato
Reuters
Bloomberg 22 de julho de 2018 às 14:00

As filas na porta das lojas da Apple são a prova: as pessoas vão pagar o preço da novidade do momento. Mas será que o próximo iPhone - ou seja que aparelho for - vale realmente esse preço?

 

Na realidade, muitas das tecnologias incluídas no seu telemóvel foram em alguma época os aparelhos mais sofisticados do momento – e os modelos actuais parecem grandes pechinchas ao lado de seus primos velhos e empoeirados.

 

A título de exemplo, ajustando à inflação, um telemóvel de 1984 teria custado quase 10.000 dólares na época. E se você estivesse em todos os sítios a comprar todas as primeiras novidades que em seguida elencamos, teria gasto perto de 18.000 dólares.

 

Vejamos alguns exemplos (todos os ajustamentos à inflação, excepto o da câmara Kodak de 1888, foram feitos com a calculadora da secretaria de estatísticas do trabalho dos EUA, www.officialdata.org).

 

Telefones

Quase um século depois de Alexander Graham Bell fazer a primeira ligação de longa distância entre Nova Iorque e Chicago, em 1892, a Motorola lançou o primeiro telefone portátil comercial (na foto). O DynaTAC 8000X tinha 33 centímetros de comprimento (com antena), pesava quase 794 gramas e fornecia 30 minutos de conversação com cada carregamento quando chegou ao mercado, em 1984. Pelo seu preço, o DynaTAC era um símbolo de "status" destinado a corretores imobiliários, advogados, traders de Wall Street e empresários que podiam comprá-lo.

 

Preço em 1984: US$ 3.995

Ajustado pela inflação: US$ 9.864

 

Máquinas fotográficas

Os fotojornalistas usavam máquinas fotográficas "portáteis" já nas décadas de 1850 e 1860 para cobrirem guerras, mas o equipamento era volumoso e exigia grande habilidade mecânica para operar. A Eastman Kodak lançou uma máquina fotográfica em 1888 com a qual qualquer pessoa podia tirar fotos. Pesava 900 gramas e vinha pré-carregada com um filme para 100 exposições. (Os proprietários enviavam-na para a empresa, que revelava o filme e recarregava a máquina por 10 dólares.) Para tornar a fotografia mais acessível, a Kodak desenvolveu a máquina fotográfica Brownie e começou a vendê-la por 1 dólar em 1900.

 

Preço em 1888: US$ 25

Ajustado pela inflação: US$ 640

 

Máquinas de filmar

As máquinas de filmar não-profissionais começaram a ser vendidas logo depois do desenvolvimento das câmaras profissionais de cinema, no fim do século XIX. A Cine-Kodak de 16 mm, lançada em 1923, pesava 4 quilos carregada com 15 metros de filme; os utilizadores tinham que colocá-la num tripé e girar a manivela para fazer um filme de três minutos. O primeiro modelo vinha como um kit que incluía o tripé, uma máquina de remendar película, um projector e uma tela.

 

Preço em 1923: US$ 335

Ajustado pela inflação: US$ 5.017

 

Televisores

Os primeiros aparelhos de TV tinham ecrãs minúsculos: a imagem no Baird Televisor era do tamanho de um selo postal. Os ecrãs dos dois primeiros modelos transístores movidos a bateria também eram pequenos. A Safari, lançada em 1959 pela Philco, tinha um tubo de imagem de 2 polegadas e a imagem era reflectida num espelho para aumentar a área de visualização. (Um cone retráctil reduzia o brilho.) O ecrã da TV8-301 da Sony, de 1960, tinha cerca de 8 polegadas. A Sony pesava cerca de 6 quilos e a Philco quase 7 quilos. Ambas vinham com entradas de earphones e inicialmente custavam cerca de 25% mais do que a consola TV Admiral de 23 polegadas.

 

Preços em 1960: US$ 250

Ajustado pela inflação: US$ 2.150

 


Ver artigo original, com mais exemplos





pub