Tecnologias Pequim constrói parque para desenvolvimento de inteligência artificial no valor de 1,8 mil milhões

Pequim constrói parque para desenvolvimento de inteligência artificial no valor de 1,8 mil milhões

As autoridades da capital chinesa pretendem construir um parque de desenvolvimento de inteligência artificial. Pequim pretende investir cerca de 2,12 mil milhões de dólares na criação desta infra-estrutura. A China quer ser líder na área de inteligência artificial em 2025.
Pequim constrói parque para desenvolvimento de inteligência artificial no valor de 1,8 mil milhões
Negócios 04 de janeiro de 2018 às 14:00

A cidade de Pequim – capital da China – está a planear construir um parque para o desenvolvimento de inteligência artificial (IA), avançou a agência noticiosa estatal, citada pela Reuters. Para tal, as autoridades pretendem gastar cerca de 13,8 mil milhões de yuan, cerca de 1,8 mil milhões de euros.

O desenvolvimento deste parque insere-se na aposta da China em tornar-se líder mundial na área de IA em 2025. Esta aposta chinesa na IA surge numa altura em que as tensões entre Pequim e Washington, no que diz respeito ao desenvolvimento de aplicações de IA para fins de tecnologia militar, sobe de tom, aponta a Reuters.

A China tem planos para impulsionar o talento, o investimento e a investigação em IA, tendo apelado às empresas privadas, militares e públicas que cooperem nos objectivos estabelecidos no campo da inteligência artificial. Ainda em Dezembro, a Google anunciou que ia colocar uma equipa de investigação em inteligência artificial.

Este parque vai ter capacidade para albergar mais de 400 empresas, de acordo com um relatório das autoridades locais, citado pela Reuters. O grupo Zhongguancun Development, responsável pelo desenvolvimento do projecto, espera alcançar uma parceria com uma universidade estrangeira de forma a construir um laboratório de IA "de nível nacional", indicou a agência estatal de notícias.

Segundo a mesma fonte, este parque vai focar-se na atracção de companhias que operem na área do big data, da identificação biométrica, deep learning e computação na cloud.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 04.01.2018

Estão em todo o lado e com resultados, quem diz que a economia planificada dos soviets não funciona?