Tecnologias Polícia japonesa anda "à pesca" de drones ilegais

Polícia japonesa anda "à pesca" de drones ilegais

Enquanto na Holanda se treinam águias para caçar drones, no Japão anda-se à pesca destes aparelhos com recurso a uma enorme rede que, por sua vez, é transportada também por um drone.
Polícia japonesa anda "à pesca" de drones ilegais
Bloomberg
Inês F. Alves 03 de fevereiro de 2016 às 16:17

As autoridades japonesas estão a usar um drone com uma rede para "pescar" outros aparelhos voadores controlados remotamente que estejam a sobrevoar zonas sensíveis da cidade de Tóquio (junto a edifícios oficiais, por exemplo) sem autorização.

A decisão de criar um esquadrão anti-drones teve lugar depois de, em Abril, um homem de 40 anos, Yasuo Yamamoto, ter usado um drone para transportar areia radioactiva para o topo do edifício onde fica o gabinete do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. O indivíduo - que protestava desta forma contra a política nacional sobre a energia nuclear - acabou por se entregar às autoridades.

O incidente aumentou os receios de que este tipo de aparelho pudesse ser utilizado para levar a cabo ataques, escreve a BBC, adiantando que a lei em vigor não regulava voos de baixa altitude de drones excepto junto a aeroportos.

A lei foi revista em Setembro de 2015, tornando-se muito mais restritiva, escreve a Ars Technica. É proibido, por exemplo, sobrevoar zonas residenciais com drones sem a autorização prévia.


Segundo o Asian Review os primeiros testes com o drone equipado com rede foram realizados em Dezembro do ano passado e é expectável que o esquadrão anti-drone da polícia metropolitana comece a operar a 100% já este mês de Fevereiro, com 10 drones no ar pilotados por oficiais treinados para o efeito.


Não é só no Japão que o aumento do tráfego de drones preocupa as autoridades. Além da revisão das leis em vigor, as autoridades começam a testar formas de travar quem não cumpre as regras. Na Holanda, por exemplo, estão a ser treinadas águias para interceptarem os drones.

Caso o projecto tenha sucesso, as aves serão utilizadas na protecção de eventos públicos e aeroportos para travar a actividade de drones não autorizados, reduzindo a possibilidade de ocorrência de acidentes e/ou utilização para efeitos ilegais.


Veja os testes da polícia japonesa no vídeo abaixo: 


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub