Tecnologias Reditus aprova redução de capital de 58,6 milhões

Reditus aprova redução de capital de 58,6 milhões

Os accionistas da Reditus aprovaram a redução do capital social da empresa tecnológica em cerca de 58,6 milhões de euros. As alternativas eram a dissolução da empresa ou o reforço do capital por parte dos accionistas.
Reditus aprova redução de capital de 58,6 milhões
Os accionistas da Reditus aprovaram esta segunda-feira, 13 de Agosto, em assembleia-geral, a redução do capital social da empresa tecnológica em cerca de 58,6 milhões de euros, por forma a ultrapassar a situação patrimonial deficitária da empresa, em que o capital próprio da empresa é já inferior a metade do capital social. A proposta foi aprovada por unanimidade, indica a empresa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). 

A proposta da administração da empresa estipulava que o capital social da Reditus passasse dos actuais 73.193.455 euros para 14.638.691 euros através da "redução de quatro euros ao valor nominal de todas as acções, passando as mesmas a ter um valor nominal de um euro".

A operação destina-se fundamentalmente a cobrir prejuízos no valor de 56,18 milhões de euros, aos quais se somam 1,17 milhões em ajustamento do valor de acções próprias e 1,2 milhões em criação de reservas especiais.

Segundo a administração liderada por Francisco Santana Ramos, "após a redução do capital social", agora aprovada, "a situação líquida da sociedade fica a exceder o novo capital social em mais de 20%, assim se dando cumprimento ao disposto no n.º 1 do artigo 95.º do Código das Sociedades Comerciais".

Caso os accionistas rejeitassem a redução de capital, a administração propunha duas soluções, seguindo o que determina a lei: "a dissolução da sociedade ou a realização pelos sócios de entradas para reforço da cobertura do capital".

No final do ano passado, a Reditus empregava 1.037 funcionários. A empresa fechou o exercício de 2017 com prejuízos de 1,6 milhões de euros. Entre os principais accionistas da Reditus contam-se Miguel Pais do Amaral, com 24,74% do capital, o BCP, com 16,51%, e a família Moreira Rato, com 10,12%. A empresa tem 35,33% do capital em "free float".



pub