Tecnologias Samsung investe mais de 1,6 mil milhões de euros nos EUA

Samsung investe mais de 1,6 mil milhões de euros nos EUA

A tecnológica sul-coreana anunciou que vai investir mais de 1,6 mil milhões de euros em duas unidades em solo norte-americano. O anúncio surge numa altura em que está a ser preparado um encontro entre Trump e Moon Jae-in.
Samsung investe mais de 1,6 mil milhões de euros nos EUA
Ana Laranjeiro 29 de junho de 2017 às 11:16

A tecnológica sul-coreana Samsung vai investir 1,9 mil milhões de dólares (mais de 1,6 mil milhões de euros no câmbio actual) em duas unidades em território norte-americano, de acordo com um comunicado da empresa, citado pela Bloomberg. Este investimento vai ser concretizado até 2020.

A sul-coreana pretende assim investir 1,5 mil milhões de dólares (mais de 1,3 mil milhões de euros no câmbio actual) na sua fábrica de semicondutores, localizada no estado do Texas. E vai construir uma nova infra-estrutura na Carolina do Sul, o que vai requerer um investimento de 380 milhões de dólares (mais de 334,5 milhões de euros). A fábrica em Austin (capital do Texas) foi lançada em 1998 e, desde então, foram já investidos nesta estrutura 17 mil milhões de dólares (perto de 15 mil milhões de euros). Nesta estrutura, a Samsung tem cerca de três mil funcionários.


Na fábrica de Newberry, Carolina do Sul, a Samsung prevê construir electrodomésticos, incluindo máquinas de lavar roupa, já no início do próximo ano. Neste estado norte-americano, a tecnológica tem já um call center, que dá emprego a 800 pessoas. As discussões com as autoridades locais para uma expansão da presença da Samsung naquela região começaram no inverno de 2016, de acordo com a agência de informação.


O anúncio desta aposta da tecnológica em solo norte-americano surge numa altura em que está a ser preparado um encontro entre os presidentes dos dois países. Vai ser a primeira cimeira entre Donald Trump e Moon Jae-in.

Segundo a agência de informação, que cita o Export-Import Bank of Korea, o investimento directo da Coreia do Sul nos Estados Unidos cresceu 140% no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao mesmo período do ano passado.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Z 29.06.2017

Os media, que lá como cá, são esquerdelhos, bem tentam minar o Trump ! Mas ele come-os de cebolada ! Eh, eh ! Gosto, gosto !

Anónimo 29.06.2017

Onde andam os ""experts"", analistas, Prémios Nobel, blá, blá que adivinhavam um CRASH na bolsa NYSE, fuga de investimentos, aumento do desemprego, dos défices...etc....com a eleição de TRUMP...?

muito ignorantes..ou melhor....o pouco Q.I. toldado pelo sectarismo paranóico

pub