Tecnologias Stephen Hawking no Web Summit: "Acredito que podemos criar IA para o bem do mundo"

Stephen Hawking no Web Summit: "Acredito que podemos criar IA para o bem do mundo"

Nuno Sebastião, líder da Feedzai, subiu ao palco na cerimónia de abertura do Web Summit para apresentar uma mensagem de Stephen Hawking. O cientista defendeu que, apesar dos riscos, "podemos criar inteligência artificial para o bem do mundo".
Stephen Hawking no Web Summit: "Acredito que podemos criar IA para o bem do mundo"
Sara Matos
Ana Laranjeiro 06 de novembro de 2017 às 19:18

Nuno Sebastião (na foto), CEO da Feedzai, é o líder de uma das start-ups nacionais mais conhecidas. A Feedzai desenvolveu ferramentas para detectar fraude na área dos pagamentos. Para isso, usa Inteligência Artificial (IA). No palco principal da Altice Arena, onde decorre a cerimónia de abertura da edição de 2017 do Web Summit, Nuno Sebastião aproveitou a oportunidade para dar a palavra ao cientista britânico Stephen Hawking que, numa mensagem em vídeo, falou sobre IA.

 

"Não podemos prever o que vamos alcançar, quando as nossas mentes forem amplificadas pela inteligência artificial. Talvez com as ferramentas desta nova revolução tecnológica, vamos ser capazes de voltar atrás em alguns dos danos provocados no mundo" pela industrialização, defendeu o cientista. Stephen Hawking defende que o objectivo final é erradicar doenças e colocar um ponto final na pobreza.

 

Há riscos inerentes a estas novas tecnologias mas "estou optimista e acredito que podemos criar inteligência artificial para o bem do mundo". "Temos de estar conscientes dos riscos, identifica-los, utilizar as melhores práticas e prepararmo-nos para as consequências antes", acrescentou.

 

O cientista britânico sublinhou ainda, na sua mensagem em vídeo, que a aprendizagem tem de deixar de deixar de ser teórica "sobre como deve ser a inteligência artificial e [é necessário] desenvolver acções para garantir" que esta funciona como deve.

 

A edição de 2017 do Web Summit é a segunda que decorre em Lisboa. São esperadas cerca de 60 mil pessoas, mais do que as 53 mil presentes na edição do ano passado.  




pub