Tecnologias Tecnológica portuguesa OutSystems entra na Alemanha  

Tecnológica portuguesa OutSystems entra na Alemanha  

A empresa abriu um escritório em Frankfurt para aproveitar as oportunidades de crescimento na Alemanha, Áustria e Suíça.
Tecnológica portuguesa OutSystems entra na Alemanha   
A Outsystems foi fundada em 2001 por Paulo Rosado
Bruno Simão
Negócios 04 de julho de 2018 às 16:00

A OutSystems anunciou a abertura de um escritório em Frankfurt, alargando desta forma a sua presença internacional, com o objectivo de aproveitar as oportunidades de crescimento na Alemanha, Áustria e Suíça.

 

A tecnológica portuguesa, que recentemente ascendeu ao estatuto de unicórnio ("start-ups" com avaliação acima de mil milhões de euros), adianta em comunicado que "a localização foi um factor essencial na selecção de Frankfurt para esta expansão", sendo que para este escritório e arredores a OutSystems planeia contratar ao longo de 2018 e nos anos seguintes.

 

A OutSystems, que é líder mundial em desenvolvimento rápido de aplicações low-code, está presente nos Estados Unidos, na Ásia, e em algumas localizações na Europa.

 

A empresa conta com 810 trabalhadores em todo o mundo, prevendo contratar mais 250 até ao final deste ano. Nos escritórios de Linda-a-Velha, Proença-a-Nova e Braga a OutSystems tem actualmente mais de 500 colaboradores.

 

"Em todo o lado as organizações enfrentam muitos dos mesmos desafios no que se refere à modernização das TI, aos requisitos de negócios digitais e à falta de developers qualificados", afirma Willem van Enter, Vice President, EMEA. "Com a plataforma de desenvolvimento low-code da OutSystems, podemos ajudar as empresas desta região a resolver estes desafios e a desenvolver o mesmo nível de design e eficiência de escala nas suas operações de TI, tal como já são conhecidos em engenharia".

 

Fundada em 2001 por Paulo Rosado, um alentejano de Évora que se licenciou em Engenharia Informática pela Nova de Lisboa e que começou a carreira na Oracle, em Silicon Valley, a Outsystems anunciou no início do mês passado que angariou 360 milhões de dólares através do Goldman Sachs e da KKR, o que avalia a empresa portuguesa em mais de mil milhões de dólares.

 

No ano passado, as receitas da empresa liderada por Paulo Rosado aumentaram 63%, num período em que angariou 275 novos clientes do segmento empresarial e "mais de 50.000 novos developers [programadores] utilizadores da sua plataforma"




Saber mais e Alertas
pub