Tecnologias Trump bloqueia oferta apoiada por chineses devido a riscos de segurança

Trump bloqueia oferta apoiada por chineses devido a riscos de segurança

O presidente norte-americano, Donald Trump, travou um investidor apoiado por chineses de comprar a Lattice Semiconductor, avança a Bloomberg. O motivo prendeu-se com questões de segurança, tendo sido apenas a quarta vez em 25 anos que tal acontece.
Trump bloqueia oferta apoiada por chineses devido a riscos de segurança
Reuters
Carla Pedro 13 de setembro de 2017 às 22:11

A Canyon Bridge Capital Partners, uma empresa de private equity sedeada em Silicon Valley, nos EUA, e com uma representação em Pequim, na China, viu ser-lhe travada a oferta de compra sobre a tecnológica norte-americana Lattice Semiconductor.

 

Foi apenas a quarta vez em 25 anos que um presidente dos EUA ordenou que a compra de uma empresa norte-americana por estrangeiros fosse travada devido a riscos de segurança nacional. Segundo a Bloomberg, citando a Casa Branca e o Departamento do Tesouro, Trump tomou a decisão com base na recomendação de um painel multi-agências do governo.

 

Os riscos de segurança deste negócio incluem, segundo a Casa Branca, o papel do governo chinês no apoio a esta compra, a importância – para o governo dos EUA - da integridade da cadeia de fornecimento de semicondutores e a utilização de produtos da Lattice pela Administração norte-americana.

 

O facto de os EUA terem bloqueado esta oferta de compra de um investidor que é apoiado por uma gestora de activos estatal chinesa constitui um mau augúrio para vários outros compradores chineses que procuram a aprovação das autoridades de segurança norte-americanas para as suas aquisições, sublinha a agência noticiosa.

 

Com efeito, a Administração Trump tem mantido uma posição dura contra a compra de empresas norte-americanas por parte de chineses, apesar de a China estar a ajudar na tentativa de resolução da crise nuclear com a Coreia do Norte.

 

Segundo a Bloomberg, entre outros negócios chineses que estão a ser analisados conta-se a proposta de venda da MoneyGram International à Ant Financial, a empresa de serviços financeiros controlada pelo multimilionário chinês Jack Ma – que é também o fundador da Alibaba.

 

O governo dos EUA está também a avaliar um acordo do conglomerado chinês HNA Group para comprar uma participação na SkyBridge Capital – a gestora de fundos que foi criada por Anthony Scaramucci, que foi director de comunicação da Casa Branca apenas durante 10 dias.

 

Este negócio agora vetado previa que a Lattice, sedeada em Portland (estado de Oregon), fosse vendida por 1,3 mil milhões de dólares à Canyon Bridge – tendo esta intenção sido anunciada em Novembro passado.

 

A aquisição de empresas norte-americanas, como esta fabricante de semicondutores, por parte de compradores de fora dos EUA é sempre analisada pelo Comité de Investimento Estrangeiro norte-americano, num painel composto por representantes do Tesouro, Departamento de Estado, Departamento da Segurança Interna e Departamento da Defesa. Quando um negócio não lhe agrada, o comité pode recomendar ao presidente do país para que o bloqueie – que foi o que aconteceu neste caso.

 

A Lattice e a Canyon Bridge apresentaram três vezes a sua proposta, sem nunca terem obtido aprovação. A empresa norte-americana foi o primeiro alvo de aquisição da Canyon Bridge – estando este fundo mandatado para investir em tecnológicas do sector dos semicondutores, sobretudo nos EUA.

 

A Canyon Bridge, explica a Bloomberg, está a investir em nome de um fundo chinês de capital de risco que é apoiado pela China Reform Fund Management, uma gestora de activos estatal.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 14.09.2017

Só cá é que é tudo à pé-de-porco, tudo se vende até a honra!

comentários mais recentes
Anónimo 14.09.2017

este País é uma pouca vergonha vendem tudo aos chineses até a dignidade pior é ainda o comércio "produzido na China" importado e vendido ao retalho pelos chineses é do 100% lucro chinês óptimo para divida nacional ... os comerciantes nacionais jà tem uma solução emigrarem

fcj 14.09.2017

Isto é: Liberdade de comércio só vale para os grandes países capitalistas se apropriarem das riquezas dos pequenos... É por estas e por outras que a grande nação a caminho do comunismo - China - está a comprar os grandes países capitalistas! Até à vitória final!! E já faltou mais!!!

Anónimo 14.09.2017

Já Passos e Portas ofereceram o datacenter da Covilhã... pago com os nossos impostos e mandaram as reservas de gas natural para umas cavernas na Alemanha...

Tal como ca, dizem nos patriotas vendidos 14.09.2017

Aprendem aqui, canalhas vendidos os exemplos Americanos nao sao seguidos por estes Bastardos que tudo nos venderam, ate a dignidade. Mas neste antro de papalvos,armados em espertos que beijam a peida uns aos outros nada me espanta. Paizeco treceiro mundo entregue aos miseraveis mal nascidos politico

ver mais comentários
pub